Category Archives: Blancpain Endurance Series

Filipe Albuquerque: “Equipa é experiente, os pilotos bons e por isso vamos lutar pela vitória”

Filipe Albuquerque

Tal como sucedeu o ano passado, Filipe Albuquerque vai participar nas 24h de Spa-Francorchamps, prova das Blancpain Endurance Series, desta feita fazendo equipa com Dino Lunardi e Grégory Guilvert, na equipa Sinteloc, naturalmente, aos comandos do Audi R8 LMS.

Filipe Albuquerque, que é piloto oficial da Audi no DTM está muito entusiasmado com esta segunda participação: “A Audi sabia do meu interesse no respeita a esta prova e por isso foi com enorme satisfação que aceitei o convite, sobretudo porque tenho consciência das inúmeras opções que a marca dispõe. É um enorme privilégio“, começou por dizer o piloto português.

O profundo conhecimento do Audi R8 LMS e a experiência que capitalizou no evento o ano passado, abrem-lhe boas perspetivas para uma das mais emblemáticas provas de resistência do mundo: “As provas de 24 horas são sempre uma lotaria, mas não escondo que estou muito otimista quanto a um bom resultado. A equipa é experiente e bastante profissional e os meus companheiros de equipa são pilotos muito bons. Vamos por isso lutar pela vitória“, rematou Filipe Albuquerque.

Anúncios

Pedro Lamy com a ASM Team nas 24 Horas de Spa-Francorchamps

Pedro Lamy

Pedro Lamy vai ser piloto da ASM Team na próxima edição das 24 Horas de Spa-Francorchamps, juntando-se a Karim Ojjeh, Ricardo Bravo e António Coimbra na clássica prova de resistência belga.

Após um teste no circuito do Estoril no passado mês de maio, no qual Lamy teve a possibilidade de experimentar o McLaren MP4-12C GT3 pela primeira vez, foi possível chegar a um acordo, esperando-se que o piloto luso possa ajudar a formação lusa a obter as melhores soluções para a afinação do carro e servindo de referência para os outros pilotos da equipa.

Estou muito satisfeito por ter chegado a um acordo com o Pedro para Spa. O Pedro é uma referência nacional e internacional em corridas de resistência e não tenho dúvidas que é a melhor solução para melhorar ainda mais a equipa e ajudar os outros pilotos numa prova onde a experiência tem um grande peso. Após seis participações consecutivas nas 24 Horas de Le Mans este é um novo desafio, onde poderemos colocar em prática a nossa vasta experiência em corridas de longa duração”, referiu António Simões, proprietário da equipa portuguesa.

Será um grande orgulho representar a ASM, uma equipa portuguesa com vasta experiência internacional. É difícil traçar objetivos numa prova tão difícil, mas após a vitória que alcancei nas 24H de Le Mans espero poder repetir o feito na categoria Pro-Am em Spa. Sei que o carro tem sofrido diversas evoluções para melhorar a fiabilidade e estou confiante de que chegaremos a Spa com um pacote muito competitivo e fiável”, mencionou Lamy.

As 24 Horas de Spa decorrerão nos dias 28 e 29 de julho, com a partida marcada para as 16h00 locais (15h00 em Portugal) e contarão com 75 carros à partida. A prova será transmitida em direto no canal MotorsTV e no website www.blancpain-endurance-series.com.

Álvaro Parente: “Ataquei o máximo que pude mas ficámos longe dos nossos objetivos”

Álvaro Parente

Álvaro Parente voltou a ter uma jornada difícil na terceira ronda do Blancpain Endurance Series de 2012, que se realizou este fim de semana em Paul Ricard, terminando no 27º posto após uma corrida plena de problemas.

O fim de semana começou mal com o McLaren da United Autosports a evidenciar problemas de caixa de velocidades logo na primeira sessão de treinos livres, o que impediu que o piloto português, David Brabham e Matt Bell pudessem rodar consistentemente ao longo de todo o dia de sábado, completando apenas treze voltas.

Com os problemas resolvidos, mas sem que pudesse afinar convenientemente o McLaren MP4-12C GT3 ao traçado francês, Álvaro Parente conseguiu assegurar o décimo quarto lugar da qualificação entre cinquenta e quatro concorrentes, o que permitia ao trio da United Autosports ambicionar um bom resultado.

A prova desta tarde, que teria a duração de três horas, teve um bom início para o McLaren MP4-12C GT3, tendo Matt Bell levado o carro inglês até ao oitavo lugar. No entanto, uma paragem nas boxes demasiado lenta e uma porca de uma roda mal apertada acabou por condicionar toda a prova do GT da United Autosports.

Parecia estarmos a caminho de um bom resultado, dado que o Matt conseguiu recuperar alguns lugares e estava num bom ritmo. Mas o nosso pit-stop acabaria por ser determinante para o desfecho da nossa corrida, uma vez que um problema numa porca de uma roda obrigou o David a regressar às boxes, o que nos fez perder muito tempo”, afirmou Álvaro Parente.

Bastante atrasado, o piloto oficial da McLaren GT realizou o último turno de condução, tentando recuperar o máximo de posições possíveis, cruzando a linha de meta no vigésimo sétimo lugar da geral, oitavo na categoria Pro.

Quando peguei no carro já estávamos muito atrasados e havia pouco mais a fazer do que tentar recuperar. Ataquei o máximo que pude, mas no final ficámos longe dos nossos objetivos. Por vezes as corridas são assim, agora é preciso preparar-me para o próximo fim de semana, quando disputarei a ronda do Autódromo Internacional do Algarve do Campeonato do Mundo FIA GT1”, enfatizou Álvaro Parente.

Álvaro Parente – mais um fim-de-semana, mais uma corrida

Álvaro Parente

Depois de uma jornada do Campeonato do Mundo FIA GT1 em Navarra, onde levou o McLaren MP4-12C GT3 da Hexis Racing ao pódio, o jovem português mal teve tempo para relaxar e rumou ao histórico circuito inglês, onde defenderá as cores da United Autosports na mais importante competição de resistência dedicada exclusivamente a carros de Grand Turismo.

Com a confirmação da competitividade do carro no qual teve um papel preponderante no desenvolvimento, Álvaro Parente aborda a segunda ronda do Blancpain Endurance Series com confiança, muito embora saiba que, com a duração de três horas, a prova deste fim-de-semana tem uma filosofia bastante distinta das de sprint.“O McLaren MP4-12C GT3 já mostrou a sua competitividade, mas estas corridas são muito diferentes, privilegiando a consistência e a fiabilidade em detrimento da performance pura. Penso que os problemas de travões que sentimos em Monza estão resolvidos, o que nos permitirá mostrar o nosso verdadeiro potencial”, afirmou o piloto oriundo do Porto, que divide o seu carro com David Brabham e Matt Bell.

A competitividade do Blancpain Endurance Series é bastante elevada, mas Álvaro Parente acredita que poderá lutar por um lugar entre os primeiros, sobretudo, se não houverem os contratempos que são típicos das provas de resistência. “É uma corrida de três horas, portanto, muito pode acontecer. Penso que, se não tivermos problemas e as paragens nas boxes correrem bem, poderemos bater-nos por um lugar no pódio, mas vamos ter que nos aplicara fundo, pilotos e equipa”, enfatizou o piloto oficial da McLaren GT.

Álvaro Parente entrará em pista já no próximo sábado, para efectuar treinos-livres e Qualificação, ao passo que a corrida de três horas terá o seu início às 11h45 (hora de Lisboa) e contará com transmissão directa e integral no website oficial do Blancpain Endurance Series (http://www.blancpain-endurance-series.com/index2.php).

Álvaro Parente: “No FIA GT1 temos de dar o máximo em cada instante mas na Blancpain temos de ter cuidado com a mecânica mantendo um ritmo constante”

Álvaro Parente

Álvaro Parente disputou no passado fim de semana a primeira etapa do Blancpain Endurance Series de 2012, uma das competições reservadas a GT’s mais competitivas do mundo, e, apesar de ter abandonado, demonstra-se otimista para a restante temporada.

A primeira prova do Blancpain Endurance Series, que teve lugar este fim de semana em Monza, foi bastante difícil para ti. Que balanço fazes?

Álvaro Parente: Este fim de semana foi complicado, mas já estávamos conscientes disso, dado que, devido ao BOP (balance of performance para equilibrar andamentos, onde se mexe no peso e restritor) – , o nosso carro não é dos mais potentes e, em Monza, a velocidade de ponta é de capital importância. Ainda assim, esperávamos um bom resultado e o abandono, devido a problemas no alternador, foi frustrante, até porque nem sequer cheguei a sentar-me no carro durante a corrida. No entanto, existem alguns aspectos positivos a retirar, como é o caso da fácil adaptação e o bom relacionamento entre os pilotos. Chegámos a algumas conclusões no que diz respeito às afinações, aos travões, que serão melhorados, e a equipa sabe agora quais são áreas onde tem que evoluir.

Apesar de usares o McLaren MP4-12C GT3 em ambas competições – no Campeonato do Mundo FIA GT1 o da Hexis Racing e no Blancpain Endurance Series o da United Autosports – a filosofia dos dois campeonatos são bastante distintas. Quais são as suas principais diferenças?

Álvaro Parente: No Campeonato do Mundo FIA GT1 as corridas são mais curtas e são realizadas com menos carros em pista, o que nos obriga a dar o máximo em cada instante, dado que só assim poderemos alcançar os resultados que ambicionamos. Já no Blancpain Endurance as provas tem a duração de três horas, sendo imperativo que tenhamos algum cuidado com a mecânica, muito embora tenhamos que exibir um ritmo constante e forte. A gestão de prova tem, por isso, um papel importante. Para além disso, somos obrigados a ter algum cuidado com os outros carros, dado que, em Monza por exemplo, tínhamos em média cerca de dez carros por quilómetro. O carro não é muito diferente, mas os pneus são de outra marca e as pastilhas de travão privilegiam a resistência, no Blancpain Endurance Seres. Já no que diz respeito às exigências físicas, as provas de três horas são mais difíceis, mas não colocam grandes problemas.

Durante o fim de semana de Monza, que foi realizada no passado fim de semana, partilhaste a pista com mais cinquenta e seis carros. A que tipo de cuidado esta característica te obriga a tomar?

Álvaro Parente: Com cinquenta e sete carros em pista é necessário estar mais atento aos outros pilotos, até porque muitos são Gentleman Drivers. É essencial manter um ritmo forte e ter cuidado para não nos vermos envolvidos num incidente que pode comprometer uma prova de três horas que, normalmente, envolvem alguma estratégia e consistência de andamento. É um exercício ligeiramente diferente, mas no final o objetivo é o mesmo: ver a bandeirada de xadrez antes de todos os outros.

Tens sentido alguns problemas técnicos nos teus carros, neste início de temporada, mas tens mostrado também que existe um enorme potencial no McLaren MP4-12C GT3, quais são as suas principais características?

Álvaro Parente: O McLaren MP4-12C GT3 é muito equilibrado e leve, é realmente uma carro de corridas, e também a travagem é muito boa. No campo do motor estamos um pouco castrados pelo BOP. Temos ainda algum trabalho pela frente, como é o caso das pastilhas de travão que serão evoluídas rapidamente, mas a base de trabalho é muito boa e vamos ter um carro competitivo.

Lourenço Beirão da Veiga e Ricardo Bravo correm em Monza

Ricardo Bravo e Lourenço Beirão da Veiga

Começa este fim de semana a segunda época do Blancpain Endurance Series, uma competição que tem uma lista de participantes mais do que suficiente para ofuscar por completo a do Mundial de GT1, supostamente o principal campeonato GTs do mundo.

Para além de Álvaro Parente, que desta feita corre pela United Autosports, a defender as cores portuguesas estão Lourenço Beirão da Veiga e Ricardo Bravo, aos comandos do McLaren da ASM Team, que o ano passado terminaram o campeonato no terceiro posto da sua categoria, a Pro Am:

O carro que utilizámos o ano passado (Lamborghini) não era dos mais competitivos, mas mesmo assim conseguimos alcançar a terceira posição do campeonato. Foi necessário um esforço redobrado para conseguirmos esta classificação. Este ano, dispomos de uma máquina tecnologicamente mais evoluída e que certamente nos permitirá obter resultados ainda melhores”, referiu Beirão da Veiga.

Contando com uma grelha de mais de 50 máquinas e pilotos de renome internacional, o Blancpain Endurance Series é apontado como um dos mais competitivos campeonatos da atualidade. Marcas como a McLaren, Mercedes, Ferrari, Porsche, BMW, Aston Martin, Audi, Lamborghini e Nissan estarão à partida desta grande competição, adivinhando-se corridas bastante disputadas e de grande intensidade para o público presente nos eventos.

Para Ricardo Bravo: “Esta primeira prova será um misto de emoções. Se por um lado queremos lutar por uma boa classificação, por outro, temos a consciência que a nossa máquina ainda está numa fase de evolução. É bastante competitiva, mas ainda muito “jovem”, e é necessário desenvolver o carro. A equipa tem trabalhado no seu desenvolvimento, nós tivemos uma boa adaptação ao carro, que é bem diferente do que o utilizado no ano passado, estamos otimistas, mas sabemos o quão competitivo o campeonato é. Os nossos adversários são muito fortes, mas, como é óbvio, estamos decididos a dar o nosso melhor. Espero regressar a Portugal com um bom resultado”.

Álvaro Parente: “Ainda temos trabalho pela frente”

Álvaro Parente

Álvaro Parente esteve esta semana a testar em Navarra o McLaren MP4-12C da Hexis Racing, equipa pela qual vai disputar o Campeonato do Mundo FIA GT1, tendo chegado a algumas conclusões interessantes, ainda que esteja consciente de que existe ainda trabalho pela frente.

O jovem piloto português tem este ano uma época extremamente ocupada, com a sua participação no Blancpain Endurance Series e na mais importante competição mundial dedicada a carros de GT.

Álvaro Parente, juntamente com o seu colega de equipa Grégoire Demoustier, trabalharam afincadamente com a equipa campeã do mundo, tendo conseguido evoluir o carro britânico. “Este teste correu bem, continuámos a evoluir o carro e chegámos a algumas conclusões interessantes que serão benéficas para toda a temporada, que se advinha bastante competitiva. Mas temos ainda algum trabalho pela frente para o McLaren MP4-12C GT3 ficar como pretendemos”, afirmou.

Na próxima segunda-feira Parente sentar-se-á novamente a bordo do carro número dois da Hexis Racing, desta feita em Nogaro, com o intuito de preparar o princípio da época, que se realizará no fim de semana seguinte no mesmo circuito francês.

Na próxima semana vamos realizar os testes oficiais e vamos trabalhar para resolver alguns problemas que ainda estão por solucionar, mas julgo que estaremos em condições de começar bem a temporada, que se inicia no fim de semana seguinte em Nogaro”, concluiu o piloto português.

Álvaro Parente: “Foi um teste muito positivo”

Álvaro Parente

Álvaro Parente esteve presente em Paul Ricard nos dois últimos dias, onde decorreu o teste oficial do Blancpain Endurance Series, mostrando-se satisfeito com as soluções encontradas para o McLaren MP4-12C GT3 da United Autosports.

O jovem piloto português teve uma primeira mostra da competitividade que o espera no mais importante campeonato de endurance dedicado a carros de Grand Turismo, com cerca de cinquenta automóveis presentes no conhecido traçado situado nos arredores de Marselha.

Álvaro Parente, que fará equipa com David Brabham e Matt Bell, concentrou a sua actividade na busca das melhores afinações para o McLaren MP4-12C GT3, tendo em vista a temporada que se avizinha, mostrando-se agradado com a evolução protagonizada pelo carro inglês. “Foi um teste muito positivo, dado que não tivemos problemas técnicos e experimentámos as soluções que tínhamos em mente. Definimos os amortecedores e as molas que vamos utilizar, para além de outros componentes, e as conclusões a que chegámos foram muito interessantes. O nosso set-up de corrida é muito competitivo, o que me deixa confiante”, explicou o piloto oficial da McLaren GT.

O teste desta semana organizado pela SRO, que teve como fim definir o Balance Of Performance de 2012, foi o derradeiro antes do início da competição deste ano, que começará em Monza no próximo dia 14 de Abril. Álvaro Parente acredita que, depois do trabalho desenvolvido ao longo do defeso, se encontrará no pelotão da frente e capaz de se bater por bons resultados dentro da classe Pro. “Este foi o nosso último teste antes do início da época do Blancpain Endurance Series e julgo que trabalhámos muito bem ao longo do Inverno. Acredito que estamos numa boa posição para lutarmos pelas posições cimeiras, muito embora seja evidente, até pelo que vimos em Paul Ricard, que esta competição terá um nível extremamente elevado”, sublinhou o piloto português.

Álvaro Parente e ASM estiveram em testes para o Blancpain Endurance Series

McLaren MP4-12C GT3 da ASM

Tiveram lugar no circuito de Paul Ricard, em França, os testes de pré-temporada da Blancpain Endurance Series, como preparação para a primeira corrida da temporada, a decorrer em Monza, no fim de semana de 13 a 15 de abril. Nestes ensaios, mais do que realizar tempos rápidos, o principal enfoque das equipas foi evoluir as afinações dos seus carros e dar aos pilotos maior ritmo competitivo.

Na categoria Pro Cup, o mais rápido foi o Ferrari da Kessel Racing com Gsergey Afanasiev, Daniel Zampieri e Lorenzo Bontempelli aos comandos, graças a uma volta a 1.59,621s. No BMW Z4 da Marc VDS passaram vários pilotos, como Bas Leinders, Max Martine, Bert Longin, Mike Hezemans, Markus Palttala e Henri Moser, sendo que a melhor volta da formação, em 2.00,169s, valeu-lhe a segunda posição. Igual tempo foi realizado pelo McLaren MP4-12C GT3 da United Autosports, com Álvaro Parente, David Brabham e Matthew Bell aos comandos.

Na classe Pro-Am, a liderança coube ao Ferrari da SOFREV ASP, pilotado por Ludovic Badey, Patrice Goueslard, Jean-Luc Beaubelique e Guillaume Moreau, estes com uma volta em 1.58,463s, ficando sem segundo lugar o carro semelhante de Eric Debard, Olivier Panis e Gabriel Balthazard, estes com um tempo de 1.58,723s.

Também nestes testes estiveram Ricardo Bravo e Karim Ojjeh, no novo McLaren MP4-12C GT3 da equipa lusa ASM, com estes a destacarem o bom trabalho feito nestes dois dias: “De um modo geral o teste correu bem. Tivemos alguns pequenos problemas com o carro, mas nada que nos impedisse de completar os dois dias de evolução. O nosso objetivo não era fazer tempos, mas sim encontrar boas soluções para os pequenos problemas que fossem aparecendo devido a juventude do carro. Foi uma boa oportunidade para nos adaptarmos melhor ao McLaren e desenvolvermos mais a nossa máquina que demonstrou ser competitiva”, comentou Ricardo Bravo no seu regresso a Portugal. Lourenço Beirão da Veiga, o terceiro integrante da equipa, esteve ausente dos testes devido a outros compromissos.

Álvaro Parente satisfeito com testes em Monza

Álvaro Parente

Álvaro Parente demonstrou-se satisfeito com os testes efetuados ontem aos comandos do seu McLaren MP4-12C GT3 da equipa United Autosports, como forma de preparação para a temporada do Blancpain Endurance Series (14 de abril) naquele mesmo traçado italiano.

O piloto português foi um dos que esteve em pista, tendo tido um dia bastante atarefado ao longo do ensaio: “Este foi um teste realizado, sobretudo, para nos conhecermos a todos, pilotos e membros da equipa. Para além disso, aproveitámos para preparar a ronda de Monza do Blancpain Endurance Series, tendo experimentado inúmeras afinações para o McLaren MP4-12C GT3”, explicou o portuense que fará equipa na competição com David Brabham e Matt Bell.

O piloto oficial da McLaren GT mostrou-se muito satisfeito com a forma como os ensaios decorreram e com os resultados alcançados, o que o deixa otimista para o início da temporada de 2012.

O teste correu muito bem e descobrimos algumas boas soluções, o que nos permite estar confiantes para o início da temporada. No entanto, temos ainda algum trabalho pela frente, nomeadamente no que diz respeito às evoluções disponibilizadas pela McLaren GT, que ainda não explorámos na totalidade. Mas estamos no bom caminho e estou seguro de que abordaremos a época muito bem preparados”, concluiu o português.

Na próxima semana, Parente prossegue a preparação da temporada deste ano, realizando em Paul Ricard – terça e quarta-feira – uma sessão de testes com o McLaren MP4-12C GT3 da United Autosports.