Author Archives: Diogo Oliveira

Fim do Racing Portugal

O Racing Portugal tem o dever de anunciar o fim da sua ‘vida’. Após um ano ao serviço de vocês, o site não conseguiu chegar aos objetivos propostos e decide-se assim chegar ao seu final.

Quem quiser continuar este projeto que me contacte: diogooliveira993@hotmail.com

Ainda assim, tenho o prazer de anunciar que irei realizar crónicas sobre o WRC para o site Visão Desportiva. Espero que continuem a acompanharem-me lá.

Cumprimentos,

Diogo Oliveira

Davide Valsecchi lidera treino livre da GP2 em Hockenheim

Davide Valsecchi

Davide Valsecchi liderou o treino livre da etapa de Hockenheim da GP2, realizado na manhã desta sexta-feira. Os 30 minutos da sessão tiveram, na prática, apenas 20 minutos durante os quais os pilotos puderam entrar na pista, devido a um forte acidente com Giancarlo Serenelli, que paralisou o treino por 10 minutos. Quando a sessão recomeçou, estava a chover, e os tempos continuaram como estavam antes.

Valsecchi levou a melhor um duelo dos líderes do campeonato. O brasileiro Luiz Razia, que o superou na etapa de Silverstone, há duas semanas, ficou com a segunda posição, a 0,120s, enquanto Esteban Gutiérrez terminou com o terceiro tempo do dia.

Depois de os pilotos da F1 foram à pista pela primeira vez em Hockenheim, na Alemanha, foi a vez dos jovens da GP2 acelerarem pelo tradicional circuito. A sessão de 30 minutos, a única que os pilotos têm para se habituar ao traçado, começou com pista seca, mas com um céu bastante nublado.

Na primeira metade do treino, os três melhores do campeonato até aqui estabeleceram os melhores tempos, não necessariamente na mesma ordem do que aponta a tabela de pontuação. Davide Valsecchi era o primeiro, com um tempo de 1:24:031, 0,120s a frente de Luiz Razia, e Esteban Gutiérrez era o terceiro.

Mas a sessão estava tranquila demais. Até demais. Com dezesseis minutos restando, Giancarlo Serenelli alargou um pouco a entrada do estádio e subiu na grama. No regresso ao asfalto, o carro virou repentinamente para a direita e chocou com violência contra o muro de proteção. O venezuelano da Lazarus saiu do carro sozinho, porém, pareceu um pouco baqueado pelo impacto. A bandeira vermelha tremulou quase que instantaneamente após o acidente.

Acabava ali o treino. A pista chegou a ser reaberta, a seis minutos do fim, porém, durante o período de paralisação, durante o qual o relógio não parou, a chuva voltou a cair no Hockenheimring, e pneus de chuva foram preparados pelas equipas.

Contudo, não foram todos que optaram por usar pneus ‘biscoito’. Fabio Leimer saiu das boxes ainda com os compostos slicks, e deu-se mal: era visível a sua dificuldade em controlar o monolugar na pista. Mesmo Giedo van der Garde, que colocou pneus intermédios, encontrou algumas dificuldades no regresso.

E foi isso. Com a pista molhada, ninguém conseguiu melhorar os tempos estabelecidos anteriormente, e nenhum erro grande foi cometido. Ou seja, a mistura do acidente de Serenelli com a intervenção dos céus acabou como treino. A classificação acontece ainda nesta sexta, após o segundo treino livre da F1.

Confira os tempos:

Pos  Driver               Team                Time       Gap
 1.  Davide Valsecchi     DAMS                1m24.031s
 2.  Luiz Razia           Arden               1m24.151s  + 0.120s
 3.  Esteban Gutierrez    Lotus               1m24.269s  + 0.238s
 4.  Stefano Coletti      Coloni              1m24.289s  + 0.258s
 5.  Giedo van der Garde  Caterham            1m24.337s  + 0.306s
 6.  Fabio Leimer         Racing Engineering  1m24.342s  + 0.311s
 7.  James Calado         Lotus               1m24.462s  + 0.431s
 8.  Max Chilton          Carlin              1m24.573s  + 0.542s
 9.  Marcus Ericsson      iSport              1m24.622s  + 0.591s
10.  Fabio Onidi          Coloni              1m24.688s  + 0.657s
11.  Josef Kral           Addax               1m24.804s  + 0.773s
12.  Johnny Cecotto Jr    Addax               1m24.838s  + 0.807s
13.  Tom Dillmann         Rapax               1m24.888s  + 0.857s
14.  Nigel Melker         Ocean               1m24.924s  + 0.893s
15.  Jolyon Palmer        iSport              1m24.965s  + 0.934s
16.  Nathanael Berthon    Racing Engineering  1m24.974s  + 0.943s
17.  Felipe Nasr          DAMS                1m24.977s  + 0.946s
18.  Rodolfo Gonzalez     Caterham            1m25.051s  + 1.020s
19.  Rio Haryanto         Carlin              1m25.108s  + 1.077s
20.  Simon Trummer        Arden               1m25.557s  + 1.526s
21.  Stephane Richelmi    Trident             1m25.665s  + 1.634s
22.  Victor Guerin        Ocean               1m26.071s  + 2.040s
23.  Sergio Canamasas     Lazarus             1m26.475s  + 2.444s
24.  Julian Leal          Trident             1m26.762s  + 2.731s
25.  Giancarlo Serenelli  Lazarus             1m27.459s  + 3.428s
26.  Ricardo Teixeira     Rapax               1m28.126s  + 4.095s

Jenson Button lidera 1-2 da McLaren no primeiro treino livre

Jenson Button

A chuva foi a protagonista do primeiro treino livre do fim de semana do GP da Alemanha de F1, nesta sexta-feira, em Hockenheim. Ainda que o volume de água não tenha encharcado o asfalto alemão, facto é que as condições de pista ficaram muito comprometidas para a execução de um cronograma normal de testes para pilotos e equipas. Na tabela de tempos, Jenson Button deu sorte ao registar uma boa marca antes da chuva e, com 1:16:595, assinalou a melhor volta.

No fim do treino, Lewis Hamilton assegurou a dobradinha da McLaren no circuito germânico. Com 1:17:093, o quarto classificado do Mundial de Pilotos foi quem mais se aproximou da marca de Button e fechou em segundo. Fernando Alonso também aproveitou a secagem da pista nos minutos finais e terminou a manhã em terceiro. Michael Schumacher e Sergio Pérez fecharam o top 5.

A execução do primeiro treino livre para o GP da Alemanha começou com o céu bastante nublado em Hockenheim. A ameaça de chuva era real, e a água poderia vir a qualquer momento. Desta forma, todos os pilotos foram rapidamente à pista no início da sessão, ainda que para a realização de voltas de aquecimento e reconhecimento dos respectivos carros e do asfalto alemão.

Apenas Kamui Kobayashi, usando os pneus duros experimentais levados pela Pirelli para o circuito, anotou volta cronometrada nos primeiros minutos. Usando um sensor aerodinâmico que mais parecia uma grelha, o nipónico cravou 1:55:569, tempo altíssimo em comparação com o recorde da pista, que é de 1:13:780, de Kimi Räikkönen, em 2004.

O tempo de Kamui, como era esperado, caiu rapidamente. Button, com 1:16:595, assumiu a liderança do treino logo que fez a sua primeira volta rápida, muito à frente dos adversários da grelha. Para se ter uma ideia, o tempo de Grosjean, segundo classificado àquela altura, com 20 minutos de sessão, era 1,767s mais lento.

Com 25 minutos de sessão, a chuva, que antes só ameaçava, finalmente deu as caras no circuito de Hockenheim. Todo mundo que estava no treino enfrentou dificuldades para controlar os respectivos carros. A própria organização da prova declarou a pista como molhada.

Mas o volume de água não foi suficiente para encharcar a pista, pelo contrário. Logo o asfalto secou de vez, e o treino seguiu o seu ritmo normal, com Massa conseguindo melhorar o seu tempo e, com 1:19:274, subiu para quinto, atrás de Button, Grosjean, Pérez e do surpreendente Bottas. No outro extremo da tabela, Räikkönen, Maldonado, Pic, Hülkenberg, Vettel, Alonso e Schumacher nem sequer haviam completado voltas cronometradas.

Pouco tempo depois, a chuva voltou a apertar e deixou a pista bastante húmida e escorregadia, comprometendo o cronograma de pilotos e equipas. Os poucos que se arriscavam a deixar as boxes e ir para a pista enfrentavam problemas para manter o carro equilibrado. A sessão vinha num ritmo bem mais lento que o habitual, mesmo para um primeiro treino livre, geralmente o mais modorrento do fim de semana.

No ‘chove não molha’ de Hockenheim, a pista novamente secou. Sem água, mas com muitas nuvens negras nas cercanias do autódromo germânico,  praticamente todos os pilotos deixaram as boxes, muitos deles iniciando os treinos ‘pra valer’. Muita gente conseguiu realizar bons tempos, como Daniel Ricciardo, Maldonado e Hülkenberg, derrubando Massa de quinto para oitavo.

Na sequência, Alonso estabeleceu uma ótima marca. Com pneus médios, o espanhol anotou 1:17:795 e saltou para a segunda posição, mas ainda distante 1,2s do tempo de Button, que seguia soberano na frente graças à volta feita antes da chuva em Hockenheim. Hamilton também melhorou e cravou 1:17:926, subindo para terceiro.

Faltando 26 minutos para o fim da sessão, a chuva voltou a dar as caras. Com a pista novamente húmida, Kobayashi, que seguia com um cronograma de treinos bem diferente, deixou as boxes usando pneus intermédios, identificados pela cor verde. Minutos depois, foi a vez de Massa ir para a pista para avaliar as condições do asfalto alemão, cada vez mais molhado.

Percebendo que não haveria oportunidade de prosseguir com um treino produtivo dali por diante, Massa recolheu para as boxes e esperou pela chuva passar. Com o aumento momentâneo do volume de água na pista, ficou tudo muito claro que o tempo de Button não seria superado em Hockenheim.

Só que, no fim do treino, mais uma vez as condições de pista mudaram de maneira significativa com a secagem da pista, e vários pilotos melhoraram as suas marcas. A começar pelo próprio Massa, que anotou 1:18:310 e subiu para oitavo. Ainda que a marca de Button fosse praticamente imbatível, os adversários estavam cada vez mais próximos. Primeiro foi Schumacher, que anotou 1:17:382, subindo para segundo. E logo depois, Alonso bateu o heptacampeão e ficou a 0,775s do britânico da McLaren. Felipe, por sua vez, continuava a baixar o seu tempo, rompendo a barreira dos 1min18s.

Quem mais chegou perto do tempo de Button foi exatamente o seu companheiro de equipa. Nos minutos finais do treino, Hamilton cravou 1:17:093 e ficou a 0,498s do tempo do parceiro de McLaren. Mas não havia tempo para mais nada, e Jenson acabou por ficar com a ponta do primeiro treino em Hockenheim.

Confira os tempos:

Pos  Driver                Team                    Time              Laps
 1.  Jenson Button         McLaren-Mercedes        1m16.595            27
 2.  Lewis Hamilton        McLaren-Mercedes        1m17.093s  + 0.498  22
 3.  Fernando Alonso       Ferrari                 1m17.370s  + 0.775  21
 4.  Michael Schumacher    Mercedes                1m17.382s  + 0.787  20
 5.  Sergio Perez          Sauber-Ferrari          1m17.413s  + 0.818  28
 6.  Nico Hulkenberg       Force India-Mercedes    1m17.599s  + 1.004  17
 7.  Nico Rosberg          Mercedes                1m17.915s  + 1.320  27
 8.  Felipe Massa          Ferrari                 1m17.995s  + 1.400  22
 9.  Pastor Maldonado      Williams-Renault        1m18.020s  + 1.425  20
10.  Romain Grosjean       Lotus-Renault           1m18.130s  + 1.535  21
11.  Kamui Kobayashi       Sauber-Ferrari          1m18.226s  + 1.631  22
12.  Sebastian Vettel      Red Bull-Renault        1m18.339s  + 1.744  21
13.  Valtteri Bottas       Williams-Renault        1m18.422s  + 1.827  28
14.  Daniel Ricciardo      Toro Rosso-Ferrari      1m18.709s  + 2.114  30
15.  Kimi Raikkonen        Lotus-Renault           1m18.831s  + 2.236  14
16.  Jules Bianchi         Force India-Mercedes    1m18.972s  + 2.377  21
17.  Jean-Eric Vergne      Toro Rosso-Ferrari      1m19.039s  + 2.444  34
18.  Vitaly Petrov         Caterham-Renault        1m19.674s  + 3.079  24
19.  Heikki Kovalainen     Caterham-Renault        1m19.963s  + 3.368  24
20.  Mark Webber           Red Bull-Renault        1m20.122s  + 3.527  27
21.  Charles Pic           Marussia-Cosworth       1m20.169s  + 3.574  20
22.  Timo Glock            Marussia-Cosworth       1m20.539s  + 3.944  18
23.  Pedro de la Rosa      HRT-Cosworth            1m21.138s  + 4.543  24
24.  Dani Clos             HRT-Cosworth            1m21.740s  + 5.145  27

Sauber negoceia com Heikki Kovalainen para o lugar de Kobayashi?

Heikki Kovalainen

De acordo com a imprensa finlandesa desta quinta-feira, Peter Sauber não está nada satisfeito com o desempenho de Kamui Kobayashi nesta temporada, a sua terceira pela equipa, e estaria a negociar com Heikki Kovaleinen, atual titular na Caterham, para ser o companheiro do jovem mexicano Sergio Pérez na próxima temporada da F1.

Piloto mais experiente que Pérez, o japonês viu o companheiro de equipa subir ao pódio duas vezes neste ano, no segundo lugar no GP da Malásia e com a terceira posição na etapa no Canadá, em Montreal, enquanto o seu melhor resultado foi a quinta posição no GP da Espanha. Na avaliação da Sauber, Kobayashi deveria ser capaz de andar mais à frente na grelha por conta do forte desempenho do C31 nas corridas.

Recentemente, Kovalainen, ex-piloto da McLaren por duas temporadas, afirmou que deseja voltar para uma equipa da frente no futuro e espera por propostas ao final desta temporada. O piloto finlandês de 30 anos, que também correu na Renault, está no topo da lista da preferência de Sauber para substituir Kobayashi no próximo ano.

Sem pontuar desde o GP da Singapura de 2009, Kovalainen passou por todas as fases da equipa de Tony Fernandes até agora, desde a Lotus Racing, passando pelo Team Lotus e agora na Caterham. Tendo Jarno Trulli como companheiro de equipa até o início desde ano, atualmente o finlandês divide a equipa com o russo Vitaly Petrov, ex-piloto da Lotus Renault, atual Lotus.

Valtteri Bottas vê-se pronto para assumir vaga de titular na F1 em 2013 ou mesmo antes

Valtteri Bottas

Valtteri Bottas garantiu que já se sente pronto para assumir uma vaga de titular na F1 “para 2013 ou mesmo antes“. O finlandês de 22 anos, que venceu a GP3 na temporada passada, é piloto de testes da Williams e vem, ao longo do ano, a guiar com certa regularidade o FW34 de Bruno Senna durante o primeiro treino livre às sextas-feiras.

Bottas, que tem como empresário Toto Wolff, que é sócio na equipa inglesa, dominou recentemente os testes para rookies, realizados em Silverstone. “Gostaria muito de garantir uma vaga de piloto titular“, afirmou Valtteri à imprensa francesa.

Acho que este é o meu próximo objetivo. Se alguém me perguntar, vou dizer que já estou pronto para assumir uma vaga no próximo ano e ou até antes“, completou.

Organizadores do GP da Rússia garante cumprimento de prazos

Sochi vai receber o GP da Rússia

A construção do autódromo em Sochi, na Rússia, segue dentro do planeado, de acordo com os organizadores, que divulgaram algumas imagens das obras nesta quarta-feira. A etapa russa, que possui um contrato de sete anos para receber a F1 a partir da temporada de 2014, já destinou quase US$ 200 milhões nas obras da pista.

Os promotores do evento afirmaram ainda que o centro médico, a torre de controlo e o pit-lane estão entre as obras mais avançadas. O trabalho no reforço do solo para a base da pista também já está a ser realizado. A obra tem previsão de término para as Olimpíadas de Inverno de 2014.

A etapa russa da F1 já é uma realidade“, garantiu Alexander Bogdanov, diretor-geral do evento. “O GP será um evento muito importante para o nosso país. E estou contente por fazer parte deste projeto e é uma honra trazer este evento para o nosso país“, completou.

Nicholai Buturlakin, vice-governador da região de Krasnodar, declarou ainda que a corrida servirá também como um incentivo a mais para o desenvolvimento do automobilismo no país. “Hoje, na Rússia, podemos ver um desenvolvimento muito rápido do desporto motorizado e a vinda da F1 vai despertar um interesse ainda maior“, disse.

Estamos confiantes de que o circuito em Sochi vai contribuir enormemente e será uma adição de peso e respeitável com relação aos outros eventos esportivos que teremos aqui, como os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 e o Mundial de 2018“, completou.

Lewis Williamson assina com a Status GP na GP3

Lewis Williamson

Lewis Williamson está de volta à GP3. Depois de fazer parte do programa de jovens pilotos da Red Bull por apenas cinco corridas nas World Series by Renault, o escocês acertou, nesta quarta-feira, o regresso à categoria que disputou em 2011, onde venceu uma etapa e chamou a atenção dos olheiros rubro-taurinos. Williamson vai competir na etapa de Hockenheim da GP3, marcada para este final de semana, pela Status. O escocês entra no lugar do nipónico Kotaro Sakurai, que enfrenta problemas com patrocinadores.

O chefe da equipa irlandesa, Paul Bellringer, não poupou elogios ao novo contratado e afirmou que Williamson é o nome certo para substituir Sakurai. “O Lewis é o substituto ideal para fazer parte do nosso plantel neste final de semana. Ele já conhece o carro da GP3, desde a temporada passada, e é muito talentoso. A Status já o observava há algum tempo e estamos ansiosos por trabalhar com ele na Alemanha”, declarou.

Williamson, por sua vez, afirmou que precisa de um bom resultado na Alemanha para dar prosseguimento à carreira. “Eu já conheço algumas pessoas na Status, e esta é uma grande oportunidade. Eu sei que preciso aproveitar ao máximo esta oportunidade em Hockenheim, neste final de semana, e assegurar-me de ter feito tudo certo. Nós só precisamos de fazer progressos nos treinos e nas corridas e ver o que acontece”, disse.

O escocês elogiou, ainda, os companheiros de equipa Marlon Stockinger e Alice Powell, contra quem correu no início da carreira. “Será bom correr com o Marlon e a Alice. Eu já os conheço da nossa época na Fórmula Renault Inglesa, por isso sei que me vou adaptar fácil e vamos trabalhar bem juntos”, encerrou.

Filipe Albuquerque: “Equipa é experiente, os pilotos bons e por isso vamos lutar pela vitória”

Filipe Albuquerque

Tal como sucedeu o ano passado, Filipe Albuquerque vai participar nas 24h de Spa-Francorchamps, prova das Blancpain Endurance Series, desta feita fazendo equipa com Dino Lunardi e Grégory Guilvert, na equipa Sinteloc, naturalmente, aos comandos do Audi R8 LMS.

Filipe Albuquerque, que é piloto oficial da Audi no DTM está muito entusiasmado com esta segunda participação: “A Audi sabia do meu interesse no respeita a esta prova e por isso foi com enorme satisfação que aceitei o convite, sobretudo porque tenho consciência das inúmeras opções que a marca dispõe. É um enorme privilégio“, começou por dizer o piloto português.

O profundo conhecimento do Audi R8 LMS e a experiência que capitalizou no evento o ano passado, abrem-lhe boas perspetivas para uma das mais emblemáticas provas de resistência do mundo: “As provas de 24 horas são sempre uma lotaria, mas não escondo que estou muito otimista quanto a um bom resultado. A equipa é experiente e bastante profissional e os meus companheiros de equipa são pilotos muito bons. Vamos por isso lutar pela vitória“, rematou Filipe Albuquerque.

Tiago Monteiro e Gabriele Tarquini na Honda

Gabriele Tarquini e Tiago Monteiro

Tiago Monteiro vai continuar no WTCC no próximo ano, trocando o SEAT Leon pelo novo Honda Civic, prometendo injetar nova energia no campeonato depois da perda da Chevrolet.

O próximo ano promete ser um dos mais importantes para a carreira de Tiago Monteiro. O piloto português vai mudar de marca no Campeonato do Mundo de Turismo (mais conhecido como WTCC), passando a representar a Honda, que regressa à competição com uma  equipa oficial e dois Civic, com o piloto luso a integrar a formação, acompanhado pelo veterano Gabriele Tarquini.

A estreia ao volante do carro japonês vai ter lugar já este ano, já que Monteiro vai disputar as três últimas provas do campeonato – Suzuka, Xangai e Macau-, ao volante do novo Civic, para testar em condições de corrida. Tiago Monteiro vai fazer as suas duas últimas corridas com o SEAT Leon (o único que continua a usar o motor antigo da Sun Red) em Curitiba (já este fim de semana) e Sonoma.

Depois do final do campeonato, o piloto português vai ter a companhia de Gabriele Tarquini para continuar o processo de desenvolvimento do carro até ao início da próxima temporada. Tarquini, com 50 anos, foi colega de equipa de Tiago na SEAT e campeão do mundo em 2009. O italiano já tinha representado a Honda nos campeonatos britânico, alemão e europeu de Superturismos entre 1997 e 2001.

No terreno, a Honda volta a estabelecer uma parceria com a equipa italiana JAS Motorsport. A JAS construiu os antigos Civic Type-R e Accord Euro-R que participaram no ETCC e no WTCC, bem como o Civic R3 usado no IRC. A Mugen é a responsável pelo desenvolvimento do novo motor 1.6 turbo, equipado com injeção direta, que vai ultrapassar os 300 cv de potência.

Esta nova equipa promete animar as pistas no próximo ano e Tarquini e Monteiro são potenciais candidatos às vitórias, depois da Chevrolet anunciar o fim da sua participaçãpo oficial no WTCC com uma equipa de fábrica. A SEAT corre no WTCC de forma ‘encapotada’ (como Lukoil Racing), enquanto a BMW tem apenas equipas clientes. A Ford continua a evoluir no seu primeiro ano com o Focus, enquanto a Lada também regressa a tempo inteiro no próximo ano.

Kimi Raikkonen quer lutar pelo Pódio no Grande Premio da Alemanha

Kimi Raikkonen

O piloto finlandês de 32 anos Kimi Raikkonen está optimista para no próximo fim-de-semana no Grande prémio da Alemanha ficar num lugar do pódio. Em entrevista o piloto disse que quer lutar pelos lugares da frente.

O piloto da Lotus é neste momento o quinto da classificação geral do Campeonato Mundial de pilotos de Formula 1 com um total de 83 pontos, e até ao momento os seus dois melhores resultados foram dois segundos lugares nos Grande Prémios da Europa e Bahrein e ainda um terceiro lugar no Grande Prémio de Espanha.

Nós temos um bom carro, nós compreendemos o comportamento dos pneus bastante bem, mostrámos que podemos ser rápidos e correr bem, não há nenhuma razão para que não entremos na luta por mais um lugar no pódio” disse o piloto finlandês.

Kimi Raikkonen ainda acrescentou “algum calor seria bom. Normalmente em Hockenheim o calor tem sido bastante e todos têm problemas com a degradação dos pneus. Obviamente para nós o tempo adequa-se ao carro. Os nossos carros preferem temperaturas altas e com o passar do tempo não é tão duro nos pneus. Esperamos ter um verdadeiro verão em Hockenheim.

O piloto finlandês não tem tido pouca sorte nas pistas germânicas, já que das 15 vezes que participou no Grande prémio da Alemanha, foi obrigado a desistir por 10 vezes com problemas no seu monolugar. No entanto já conseguiu conquistar dois segundos lugares nas pistas de Hockenheim e Nurburgring.

Kimi Raikkonen no Grande Prémio da Alemanha vai disputar os primeiros lugares com o britânico Lewis Hamilton, o espanhol Fernando Alonso e o alemão Sebastien Vettel que é o favorito nas apostas de desporto há vitória final.

Referir que pode assistir ao Grande Prémio da Alemanha em f1 online.