Mark Webber diz que negociou mesmo com a Ferrari mas preferiu a Red Bull

Mark Webber

Exultante por seguir na Red Bull até o fim da temporada de 2013, Mark Webber disse que a decisão de permanecer na escuderia taurina foi fácil. O piloto, que anunciou a renovação do seu contrato nesta terça-feira, comparou a equipa a qual pertence desde 2007 a uma grande família e disse que até sabe o número do sapato de cada um dos integrantes da equipa. A respeito dos rumores sobre negociações com a Ferrari, Webber confirmou que realmente conversou com a equipa de Maranello, mas deixou claro que não teve dúvidas em continuar defendendo a escuderia bicampeã do mundo.

Em entrevista divulgada pelo site da Red Bull, Webber, ao ser questionado se assinar com a equipa taurina até o fim de 2013 foi uma decisão fácil, não teve dúvidas. “No fim das contas, isso foi, sim. Estes meses foram interessantes, mas, no geral, a continuidade e o desejo de seguir na Red Bull eram muito fortes. O meu principal objetivo é o campeonato deste ano. E outra, há um grupo de meninos e meninas genial na Red Bull e gosto muito de trabalhar com eles. Isto causa um grande efeito em mim e na maneira que eu trabalho no carro. Isso ajudou-me a tomar a decisão”, explicou o australiano, feliz por fazer parte por pelo menos mais um ano na Red Bull.

Quase sei o número do sapato de toda a gente! Sei os nomes de todos as pessoas caras, as suas manias, e conheço todos os setores. Isso é muito, mas muito importante para um piloto. É uma série de fatores. É como uma grande família. Temos avançado muito e claro que eu me encaixo bem aqui, e eu gosto disso”, comentou.

Quando perguntado se chegou a pensar em mudar de ares na próxima temporada, o vencedor dos GPs de Mônaco e da Inglaterra e atual vice-líder do Mundial de Pilotos confirmou o que outrora era apenas especulação. “Tive negociações com a Ferrari, mas a minha decisão é seguir aqui”, revelou Webber, que conversou com a escuderia de Maranello para ser o eventual substituto de Felipe Massa em 2013, uma vez que Fernando Alonso tem contrato com a equipa italiana até o fim de 2016.

Sebastian Vettel e Mark Webber

Mark fez questão de salientar que a sua relação com Sebastian Vettel é bastante saudável, em que pese que os companheiros de Red Bull viveram conflitos internos na temporada 2010, quando Webber lutou pelo título até à última corrida do ano e teve performance bastante parecida com do Mundial de 2012. A dupla Vettel-Webber, uma das mais vitoriosas da história recente da F1, completará, em 2013, cinco temporadas.

É muito boa [a relação]. Temos trabalhado unidos durante muito tempo. Acredito que ninguém poderia prever que trabalharíamos juntos durante tanto tempo. Não há muitos companheiros de equipa que tenham trabalhado juntos durante tanto tempo na F1, mas esta união demonstrou ser bem-sucedida. Trabalhamos duramente com os membros-chave da equipa técnica da equipa”, contou o australiano, que completará 36 anos em 27 de agosto.

Quando vamos à pista, ainda somos competitivos, não há dúvidas a respeito, especialmente em 2010 e neste ano. No ano passado, o Sebastian e eu não competimos muito entre nós, mas em 2009, 2010 e neste ano foram de duelos geniais. Foi muito divertido para a equipa, ainda que algumas vezes tenha sido stressante, já que não é fácil estar com os dois à frente, e pude entender que, em última instância, precisamos de trazer os carros de volta para casa e conseguir o melhor resultado para nós e para a equipe”, reconheceu Webber.

O piloto mostrou-se satisfeito pela sua renovação de contrato por vários aspectos, entre eles, o facto de agora poder concentrar-se exclusivamente na luta pelo título mundial de F1 neste ano. “Há muito tempo escutava rumores diferentes, mas no fim das contas eu sabia o que estava a acontecer. Um quer garantir que está completamente concentrado na sua pilotagem, e as pessoas [estão concentrados] no seu trabalho. É importante que a equipa esteja 100 por cento. E eu estou”, garantiu.

Por fim, Webber deixou claro que não pensa em se retirar no final do seu novo contrato com a Red Bull, mas disse que, para seguir na F1, tudo vai depender dos resultados conquistados. “Já me fizeram essa pergunta muitas vezes nos últimos quatro anos e a minha resposta tem sido sempre a mesma. É um desporto que depende dos resultados, então o futuro está nas minhas mãos. Depende de conquistar os resultados na pista”, concluiu.

Posted on 10 de Julho de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: