Pneus voltam a tramar Alonso e a vitória fica com Mark Webber

1ª curva da corrida

Mais uma vez os pneus decidiram o vencedor na F1 em 2012. Mark Webber optou por largar com pneus macios e usou os compostos duros nos dois stints finais do GP da Inglaterra, em Silverstone, neste domingo. Fernando Alonso, em contrapartida, largou com pneus duros, seguiu com o mesmo tipo de borracha após a primeira paragem e trocou para os macios no terço final da prova. No fim das contas, Webber teve melhor rendimento e, depois de 48 voltas atrás, conseguiu passar Alonso para vencer em Silverstone, na nona etapa do Mundial. Sebastian Vettel levou o segundo carro da Red Bull ao top-3 e completou o pódio no tradicional circuito britânico numa corrida realizada com pista seca.

Felipe Massa fez, de longe, a sua melhor corrida na temporada. Logo na partida, o brasileiro passou Vettel e conquistou a quarta posição, partindo para cima de Michael Schumacher, terceiro. Pouco depois, foi a vez do seu ex-parceiro dos tempos de Ferrari ser batido. Entretanto, a Red Bull trabalhou melhor no primeiro pit-stop de Sebastian e o devolveu à frente de Felipe. Ainda assim, o piloto da Ferrari fez uma corrida consistente, conteve a pressão de Kimi Räikkönen no fim da corrida e terminou em quarto.

Com o resultado deste domingo, Alonso segue na liderança do Mundial de Pilotos e agora soma 129 pontos. Webber, na luta pelo seu primeiro título mundial, agora soma 116.

A partida do GP da Inglaterra foi realizada sem incidentes, com todos os pilotos a cruzarem as primeiras curvas sem incidentes. Alonso manteve a liderança, seguido por Webber e Schumacher. Massa fez boa largada e conseguiu passar Vettel, assumindo a quarta posição. Räikkönen também passou o alemão e tentou ultrapassar o brasileiro, quase tocando no seu Ferrari. De seguida, o piloto da Lotus foi superado por Sebastian e ficou na alça de mira de Maldonado, sétimo.

Mais à frente, ainda na primeira volta, Di Resta saiu pela área de escapatória por conta de um pneu furado, mas conseguiu arrastar-se até às boxes. Mas a suspensão do VJM05 ficou avariada e o escocês abandonou a corrida logo no seu início, sendo a primeira baixa britânica em Silverstone.

Enquanto Alonso seguia a abrir vantagem volta após volta perante Webber, Schumacher seguia em terceiro, mas recebia pressão de Massa, que fazia o seu melhor início de corrida de toda a temporada, principalmente por ter segurado Vettel, que tentou ultrapassá-lo entre as voltas 3 e 4.

Felipe não só conseguiu conter o ímpeto do Red Bull como abriu vantagem e partiu para cima do seu ex-parceiro nos tempos de Ferrari. Entretanto, o heptacampeão defendia-se com maestria dos ataques de Felipe, que tentava aproveitar-se da zona de ativação da asa móvel, na reta Wellington, para ultrapassar Schumacher.

Por sua vez, o clima, grande vedete do fim de semana em Silverstone, continuava bom e não havia ameaça de chuva, embora nuvens negras rondassem insistentemente o tradicional circuito britânico.

Na abertura da 11ª volta, Vettel abriu a primeira janela para troca de pneus e mudou os compostos macios para os duros. Na mesma volta, Massa finalmente conseguiu ultrapassar Schumacher no fim da reta do Hangar e assumiu a terceira posição. O brasileiro seguia a fazer a sua melhor corrida no ano. Pouco depois, provando o bom ritmo da Ferrari, Alonso arrancou a melhor volta da prova naquele momento.

Maldonado e Pérez fizeram as suas primeiras paragens de seguida e voltaram à pista praticamente juntos. Mas na entrada da curva Brooklands, Pastor escorregou na curva e tocou no Sauber do mexicano. Ambos rodaram, mas ‘Checo’, que vinha a fazer uma grande corrida, abandonou a disputa, visivelmente com raiva do adversário. Pastor, que também tinha boas perspectivas para Silverstone, seguiu, mas, com um pneu furado, teve a sua corrida comprometida. Assim como no Mónaco, Pastor encerrou as hipóteses de uma boa corrida de Pérez.

Alonso fez a sua paragem na volta 15 e foi ultrapassado por Hamilton, que retardou ao máximo a sua paragem, claramente adotando uma estratégia diferente. Antes da paragem de Lewis, os dois protagonizaram um interessante duelo, mas o piloto da McLaren foi ultrapassado por Fernando pouco tempo depois. Do terceiro para trás, todos já haviam feito as suas paragens, com exceção de Pedro de la Rosa. Webber era o terceiro, seguido por Vettel, que foi quem se deu melhor nesta primeira janela de pit-stops e ganhou, de uma só vez, as posições de Massa e Schumacher. O heptacampeão passou a ser atacado por Räikkönen, sétimo.

Hamilton finalmente fez a sua paragem na volta 21. Desta vez, a McLaren fez um bom trabalho no pit-stop e libertou o britânico de volta à pista sem problemas. Lewis voltou exatamente atrás de Räikkönen. Alonso, por sua vez, tinha vantagem confortável para Webber, o novo segundo classificado, 5,1s.

A Mercedes não tinha um bom ritmo de corrida em Silverstone. Schumacher segurou até onde pôde a sua boa quinta posição, mas sucumbiu aos ataques de Räikkönen na volta 24 e foi ultrapassado no fim da reta Wellington. De seguida, o finlandês da Lotus cravou a então melhor volta da corrida. Na mesma volta, mas no fim da antiga reta das boxes, foi a vez de Hamilton superar o heptacampeão, que caiu para sétimo. Rosberg, por sua vez, vinha discreto, apenas em 13º, logo atrás do igualmente discreto Button.

Na mesma volta em que De la Rosa fez a sua primeira paragem, volta 29, Hamilton abriu a segunda janela de pit-stops em Silverstone, apenas oito voltas depois de ter feito a primeira, indicando uma mudança brusca na sua estratégia de corrida.

Alonso, por sua vez, fez a sua paragem na volta 37 e encerrou a segunda janela de pit-stops. O piloto da Ferrari fez dois stints com pneus duros e teve de usar os compostos macios. Webber, que vinha em segundo, estava com o seu RB8 calçado com pneus duros e assim seguiria até o fim e com muitas hipóteses de vitória, já que tais compostos tinham melhor rendimento em Silverstone. Pouco antes, Kobayashi teve um problema nos travões no momento que entrou nas boxes e acertou em quatro mecânicos da Sauber. Um deles sofreu um corte na perna, mas nada de grave.

Na disputa pela liderança, a vantagem de Alonso para Webber, que já foi de mais de 5s, caía volta após volta e, na volta 45, era de apenas 1,3s. O rendimento dos pneus do carro do australiano era bem melhor em relação à Ferrari de Fernando. Faltando sete voltas para o fim da corrida, a mudança de líderes parecia somente mera questão de tempo.

Webber finalmente passou Alonso na volta 48. O piloto da Red Bull emparelhou com o adversário na zona de ativação da asa móvel, na reta Wellington, e ultrapassou o líder do campeonato no fim do trecho. Fernando ainda tentou voltar à primeira posição, mas Webber, faltando três voltas para o GP da Inglaterra, fez valer o melhor rendimento dos seus pneus e garantiu a liderança e, mais tarde, a vitória dois anos depois de ter vencido em Silverstone pela primeira vez.

Confira os resultados:

Pos Driver Team Time
 1.  Webber        Red Bull-Renault           1h25:11.288
 2.  Alonso        Ferrari                    +     3.060
 3.  Vettel        Red Bull-Renault           +     4.836
 4.  Massa         Ferrari                    +     9.519
 5.  Raikkonen     Lotus-Renault              +    10.314
 6.  Grosjean      Lotus-Renault              +    17.101
 7.  Schumacher    Mercedes                   +    29.153
 8.  Hamilton      McLaren-Mercedes           +    36.463
 9.  Senna         Williams-Renault           +    43.347
10.  Button        McLaren-Mercedes           +    44.444
11.  Kobayashi     Sauber-Ferrari             +    45.370
12.  Hulkenberg    Force India-Mercedes       +    47.856
13.  Ricciardo     Toro Rosso-Ferrari         +    51.241
14.  Vergne        Toro Rosso-Ferrari         +    53.313
15.  Rosberg       Mercedes                   +    57.394
16.  Maldonado     Williams-Renault           +     1 lap
17.  Kovalainen    Caterham-Renault           +     1 lap
18.  Glock         Marussia-Cosworth          +     1 lap
19.  Pic           Marussia-Cosworth          +     1 lap
20.  De la Rosa    HRT-Cosworth               +    2 laps
21.  Karthikeyan   HRT-Cosworth               +    2 laps

Fastest lap: Raikkonen, 1:34.661

Not classified/retirements: Driver Team On lap
Perez         Sauber-Ferrari               14
Di Resta      Force India-Mercedes         3
Petrov        Caterham-Renault             1

Posted on 8 de Julho de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: