Felipe Massa: “Seria mais respeitado se tivesse ganho o título em 2008”

Felipe Massa

Se a história da temporada de 2008 tivesse sido diferente, ou seja, se Lewis Hamilton não tivesse ultrapassado Timo Glock na última volta em Interlagos, a etapa final daquele Mundial, a vida de Felipe Massa teria sido menos conturbada no paddock da F1. A opinião é do próprio do ferrarista. Massa acredita que, se tivesse sido de fato o campeão naquela temporada, hoje teria um respeito maior por parte da imprensa.

Em 2008, Felipe travou um duelo emocionante com Hamilton pelo título na parte final do campeonato. Os dois chegaram ao Brasil, a derradeira etapa daquele ano, separados por apenas sete pontos, com o inglês na liderança. A vitória em Interlagos e o sexto lugar de Lewis garantiriam o taça ao brasileiro, mas o piloto da McLaren conseguiu superar Glock na última volta, na último curva (!) de uma corrida marcada pela chuva, assegurando os pontos necessários para faturar o Mundial.

Se aqueles últimos 17 segundos de corrida tivessem sido diferentes, a única coisa que teria mudado é que teria um respeito um pouco maior por parte da imprensa“, disse Felipe em entrevista à imprensa britânica.

O brasileiro é constantemente questionado pela imprensa, especialmente na Itália, pelas atuações irregulares à frente da Ferrari, principalmente depois da chegada de Fernando Alonso à equipa vermelha em 2010. Neste ano, as críticas estão ainda mais severas, e a permanência de Felipe na equipa de Maranello é sempre colocada em dúvida. Atualmente, o piloto ocupa uma discreta 16ª posição no Mundial de Pilotos, com somente 11 pontos, 100 a menos que o companheiro de equipa e líder da classificação, Alonso.

Mesmo que a imprensa esteja a ser um pouco mais dura comigo agora, porque não estou a ter os resultados que gostaria, acredito que, se tivesse conquistado o título, talvez tivesse mais respeito do que tenho agora“, completou o piloto de 31 anos, que não vence uma corrida desde a prova final e decisiva de 2008, em São Paulo.

Massa, entretanto, disse não se abalar com a pressão e as cobranças. O brasileiro salientou que aprendeu a lidar com as críticas ao longo dos anos exatamente por ser piloto da Ferrari, a equipa mais tradicional do paddock. “Todos os anos alguém é apontado na Ferrari. Eu realmente nem penso muito sobre isso. Talvez no primeiro ano eu tenha-me preocupado mais, mas agora entendo como funciona e realmente não me importo“, afirmou o piloto, cujo vínculo com Maranello se encerra no fim de 2012.

Também falando sobre a atual temporada em si, Felipe acredita na melhoria do seu desempenho às medidas tomadas pela Ferrari para aumentar a competitividade da F2012 e disse que a equipa tem hipóteses de pódio neste final de semana, em Silverstone, a nona etapa do calendário. “Nós melhoramos muito o carro a partir do Mónaco, por isso acho que temos claramente uma chance de lutar pelo pódio aqui”, disse.

Posted on 5 de Julho de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: