Gerard López reafirma que objetivo da Lotus é o top 4

Lotus em boa forma em 2012

Mesmo sem ainda ter vencido uma corrida neste ano, a Lotus é uma das equipas que mais evoluíram em relação à temporada passada. Para se ter uma ideia do crescimento da equipa de Enstone em 2012, após sete corridas, foram somados 108 pontos. No ano passado, ainda usando o nome Renault, a escuderia de Enstone acumulou apenas 73 pontos em 19 corridas. Tal crescimento faz Gerard López, dono da equipa, definir como meta para a Lotus terminar entre os quatro primeiros do Mundial de Construtores. Uma meta bastante realista, segundo o próprio espanhol.

Atualmente a Lotus ocupa a terceira posição da temporada, à frente de gigantes da F1, como Ferrari, com 97, e Mercedes, com 69. Entretanto, diferente das rivais, a escuderia aurinegra conta com dois pilotos que pontuam com frequência. Kimi Räikkönen é o sexto classificado do Mundial e soma 55 pontos, apenas dois a mais em relação a Romain Grosjean. Na Ferrari, Fernando Alonso é vice-líder do campeonato, com 86 pontos, mas Felipe Massa ostenta apenas 11. Na Mercedes, o abismo entre os seus pilotos é ainda maior. Nico Rosberg somou 67 pontos e é o quinto do Mundial, enquanto Michael Schumacher tem apenas dois.

É por esta razão, mesmo ainda sem ter vencido no ano, a Lotus, com consistência, vai chegando aos poucos à meta traçada por López. “Terminar entre os quatro primeiros ainda é o objetivo, e eu acho que é uma meta realista. Se pudermos, vamos fazer mais, mas o top 4 é o objetivo”, comentou o empresário espanhol em entrevista concedida à imprensa britânica. “E eu acho que agora nós somos uma das grandes equipes porque temos dois pilotos capazes de somar pontos”, acrescentou, elogiando Kimi e Romain.

López entende que a vitória ainda não veio porque a Lotus ainda enfrenta dificuldades na qualificação. Aliás, o tema foi repetido em verso e prosa pelos membros mais importantes da equipa, como Räikkönen, Grosjean e Éric Boullier, que deixaram claro que o E20 precisa melhorar neste tipo de situação se quiser almejar o lugar mais alto do pódio.

No Canadá, o diferencial do [carro do] Kimi não funcionou, por isso [perdeu] cerca de 0,5s, ele deveria estar na segunda fila. O Romain cometeu um erro com o seu novo jogo de pneus e aquilo não lhe ajudou”, exemplificou o espanhol.

Se se larga em sétimo e 11º, pode-se alcançar o pódio. Se se pode vencer a corrida, pode-se claro, mas isso é muito difícil. Para vencermos uma corrida precisamos de fazer o pacote todo funcionar, e há várias pessoas a tentarem a mesma coisa”, emendou López, que, no entanto, demonstrou satisfação com o rendimento da dupla, uma das mais consistentes do Mundial até o momento. “Mas enquanto tivermos dois pilotos a marcarem pontos, então estamos felizes com isso”, encerrou.

Posted on 18 de Junho de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: