Ferrari ‘oferece’ primeira vitória da carreira a Pastor Maldonado no GP de Espanha

Pastor Maldonado

Pastor Maldonado fez história neste domingo na F1. O venezuelano, que faz a sua segunda temporada na categoria, começou a brilhar ainda no sábado, quando teve desempenho excepcional na qualificação e faturou o segundo lugar na grelha, só atrás de Lewis Hamilton. Mas o britânico perdeu a pole por conta de uma punição, e o venezuelano, pupilo de Hugo Chávez, teve a oportunidade de largar na frente. Depois de 66 voltas de uma corrida épica, Pastor conseguiu vencer o melhor piloto da F1 atual, Fernando Alonso, que o pressionou na parte final da corrida. De maneira inesperada, Maldonado conquistou a sua primeira vitória na carreira e, de quebra, levou à Williams ao alto do pódio pela primeira vez desde Juan Pablo Montoya, que levou o GP do Brasil de 2004. Presente inesquecível para Frank Williams, uma das lendas do automobilismo, que celebra 70 anos neste fim de semana.

Por muito pouco Kimi Räikkönen não luta pela vitória com Maldonado e Alonso. O finlandês retardou ao máximo a aua última paragem, e, quando voltou à pista, diminuiu drasticamente a diferença para os líderes. O campeão mundial de 2007 cruzou a linha de chegada só 0,6s atrás de Alonso que, por sua vez, ficou 3,1s atrás do grande vencedor do dia.

Romain Grosjean foi o quarto classificado, mas nem de longe teve o mesmo ritmo do companheiro de equipa. O franco-suíço da Lotus foi seguido por um combativo Kamui Kobayashi, um dos grandes nomes da corrida e autor de belas manobras de ultrapassagem, como a que lhe garantiu o quinto lugar da corrida ao superar Nico Rosberg. O alemão da Mercedes, já com os pneus desgastados, não resistiu à pressão de um bom Sebastian Vettel, que fez boa prova mesmo depois de ter sido punido com um drive-through por ignorar sinalização de bandeiras amarelas, terminando em sexto, seguido pelo próprio Rosberg. Lewis Hamilton, Jenson Button e Nico Hülkenberg completaram o rol dos dez primeiros.

Assim que as luzes vermelhas foram apagadas, Alonso tracionou melhor que Maldonado e lutou para assumir a liderança. O piloto da Williams emparelhou com o espanhol, quase tocou na roda, mas não evitou a ultrapassagem de Fernando, que virou líder na primeira curva do circuito catalão. Räikkönen fez largada melhor que Grosjean e ganhou a terceira posição do companheiro de equipa da Lotus. Romain tocou no pneu traseiro esquerdo de Pérez, que tentava ultrapassá-lo. O mexicano caiu para último na corrida e teve de voltar às boxes para trocar pneus.

Grosjean não teve um ritmo de corrida tão bom quanto o de Räikkönen nas primeiras voltas, tanto que perdeu também o quarto lugar para Rosberg e era ameaçado por Schumacher, o sexto. Button, Kobayashi, Vettel e um surpreendente Vergne completavam o top-10 após sete voltas.

A Red Bull antecipou a abertura da primeira janela de pit-stops em Barcelona. Webber foi chamado às boxes na sexta volta. O australiano voltou em 23º, imediatamente atrás de Karthikeyan. O número 2 da Red Bull enfrentou muitas dificuldades para passar o indiano, o que foi feito uma volta depois. Vettel, pouco depois do seu colega, fez a sua paragem e passou a usar pneus duros, assim como Webber.

Hamilton continuava a escalar o pelotão na Catalunha. Depois de nove voltas, o britânico já era o décimo, muito por conta também das paragens dos outros pilotos, mas denotava um ritmo de corrida muito forte da McLaren. Quem não estava bem era Senna. O brasileiro, bem diferente de Maldonado, não conseguia tirar o melhor rendimento do FW34 e estava atrás até mesmo de Kovalainen, da Caterham.

Na décima volta, vários pilotos executaram os seus pit-stops: Alonso, Grosjean, Schumacher, Vergne, Massa, Hülkenberg e Petrov. Desta forma, Maldonado passou em primeiro e teve a oportunidade de completar uma volta na liderança antes de efetuar a sua paragem, assim como Räikkönen.

Com tática de três paragens, Kovalainen era o quinto classificado e Senna subiu para sétimo, mas claramente o brasileiro tinha ritmo de corrida mais lento que os adversários. Depois de tentar segurar Grosjean, com quem chegou a tocar, Bruno antecipou a sua travagem com um break-test e foi acertado por trás por Schumacher, que não conseguiu travar no fim da reta da meta. O piloto da Mercedes não escondeu a sua irritação com o acidente e chamou o adversário da Williams de “idiota”. Schumacher e Senna abandonaram a prova. O acidente foi investigado após a corrida e Schumacher foi penalizado para próxima corrida.

Após a agitada primeira janela de pit-stops, Alonso era o líder, com Maldonado, Räikkönen, Grosjean e Rosberg. Vettel vinha discreto e estava em sexto, com 23,2s atrás do líder da corrida. Em 11º, Massa recebia intensa pressão de Hamilton, que nitidamente vinha em ritmo bem mais rápido que o brasileiro. Webber, com problemas na asa dianteira, teve de fazer uma paragem para trocar a peça, comprometendo assim a sua corrida.

Maldonado, aliás, era o único que conseguia andar no mesmo ritmo de Alonso em Barcelona. Menos de 2s separavam os protagonistas do GP da Espanha na 20ª volta. Nem mesmo a Lotus, apontada como a grande favorita, não conseguia aproximar-se do topo, apesar de Räikkönen e Grosjean figurarem em terceiro e quarto, respectivamente.

Vergne inaugurou a segunda janela de pit-stops e logo foi seguido por pilotos como Di Resta e Maldonado, que foi o primeiro dos líderes a fazer a sua paragem. Nesse momento, Kimi subiu para segundo. Foi graças ao pit-stop de Vergne que Massa finalmente conseguiu ter pista livre, já que o piloto da Ferrari não conseguia superar o adversário da Toro Rosso. Felipe, no entanto, era muito pressionado por Hamilton.

Alonso fez a sua paragem na volta 26, duas depois de Maldonado. O venezuelano aproveitou o melhor rendimento dos pneus macios novos e arrancou a melhor volta da prova, 1:27:906. O bom desempenho de Pastor, combinado com o facto de Fernando ter sido atrapalhado por Charles Pic, ajudou o piloto da Williams a assumir a liderança, que foi consolidada depois que Räikkönen foi às boxes uma volta depois.

Alonso era um dos destaques da corrida, bem diferente de Massa. O número 2 da Ferrari, assim como Vettel, ignorou a sinalização de bandeira amarela [para indicar detritos na pista decorrentes do acidente entre Senna e Schumacher] e acelerou demais no fim da reta da meta. Ambos foram punidos com drive-through. Vettel caiu para nono, enquanto Massa voltou em 16º.

Maldonado continuava a abrir caminho para conquistar a sua primeira vitória na F1, que parecia mais próxima após 30 voltas completadas. A diferença que o separava de Alonso era de incríveis 7,2s. O venezuelano era o mais rápido da pista e o seu ritmo era muito superior ao da Ferrari, Lotus, McLaren e Red Bull. Dentre os primeiros, Hamilton era o que tinha rendimento mais baixo, já que os seus pneus estavam muito mais desgastados, fruto de uma tática diferente dos demais, com uma paragem a menos.

Via rádio, a Williams pediu que Maldonado poupasse pneus. Não à toa, já que Alonso, volta após volta, aproximava-se do venezuelano e tirou nada menos que 2s na 38ª volta. Também enfrentando problemas com os pneus desgastados, Button não conseguia oferecer resistência aos adversários. O britânico foi superado por Kobayashi, e depois, por Vettel, que fez uma arrojada ultrapassagem por fora na curva 1.

Bem mais lento que Alonso, Pastor não teve outra alternativa que não fosse trocar os seus pneus. O venezuelano foi chamado às boxes na 41ª volta e a Williams optou por equipar o seu carro com pneus duros. O grande problema é que a equipa de Woking não fez bom trabalho nas boxes, e o venezuelano perdeu tempo no seu pit-stop. Com pista livre, Alonso tratou de apertar o ritmo para tentar voltar à frente de Maldonado após a paragem.

Alonso finalmente fez o seu pit-stop na volta 44. O trabalho da Ferrari foi bem melhor que o da Williams, mas Maldonado conseguiu recuperar o tempo perdido na pista e conseguiu voltar à pista à frente do espanhol. Räikkönen ainda continuava na pista e era momentaneamente o líder, mas com uma paragem a menos que Pastor e Alonso, mas com os pneus bem mais desgastados.

Na tentativa de se aproximar de Maldonado, Alonso fez a melhor volta da prova, 1:27:390. Depois que o venezuelano passou Räikkönen e assumiu a liderança na pista, o piloto da Ferrari ficou quase duas voltas atrás de Kimi antes de passar o finlandês, que estava com o carro bem mais lento, fruto dos pneus desgastados. A Lotus chamou o terceiro classificado da prova na volta 48º, deixando a disputa livre para Alonso e Maldonado.

Nas voltas seguintes, Alonso lutou para passar o venezuelano. Pastor era orientado pela Williams para poupar pneus e chegar até o fim da corrida sem fazer mais uma paragem, por isso segurou o ritmo o quanto pôde. Durante essas voltas, ambos deram uma volta a Massa, que era um mero retardatário, em 15º. O público nas arquibancadas de Montmeló estava em pé com a aproximação de Alonso, que tinha ritmo muito melhor que o de Maldonado.

Assim como os protagonistas Alonso e Maldonado, Kobayashi era um dos grandes nomes da corrida. Evidenciando que é um dos pilotos mais arrojados da F1 atual, o nipónico da Sauber não tomou conhecimento de Rosberg e fez a ultrapassagem, assumindo a quinta posição. Lá na frente, Pastor conseguiu uma vantagem fundamental nas suas pretensões de vitória e abriu 2,3s para o piloto da Ferrari quando faltavam quatro voltas para o fim da corrida. Ambos estavam com os pneus muito desgastados, mas o venezuelano estava nitidamente mais rápido que Fernando.

Mesmo mais à frente de Alonso, Maldonado ainda não tinha toda a tranquilidade nos últimos metros da corrida. O venezuelano tinha atrasados como Webber e Hülkenberg. Com muita cautela, Pastor ultrapassou um a um para fazer história em Barcelona. Primeira vitória de um venezuelano na F1, primeira vitória da Williams desde Juan Pablo Montoya no GP do Brasil de 2004. Presente ideal para Frank Williams, lenda da F1, que celebra 70 anos neste fim de semana.

Confira os resultados:

Pos Driver Team Time
 1.  Maldonado     Williams-Renault           1h39:09.145
 2.  Alonso        Ferrari                    +     3.195
 3.  Raikkonen     Lotus-Renault              +     3.884
 4.  Grosjean      Lotus-Renault              +    14.799
 5.  Kobayashi     Sauber-Ferrari             +  1:14.641
 6.  Vettel        Red Bull-Renault           +  1:17.576
 7.  Rosberg       Mercedes                   +  1:27.919
 8.  Hamilton      McLaren-Mercedes           +  1:28.100
 9.  Button        McLaren-Mercedes           +  1:25.200
10.  Hulkenberg    Force India-Mercedes       +     1 lap
11.  Webber        Red Bull-Renault           +     1 lap
12.  Vergne        Toro Rosso-Ferrari         +     1 lap
13.  Ricciardo     Toro Rosso-Ferrari         +     1 lap
14.  Di Resta      Force India-Mercedes       +     1 lap
15.  Massa         Ferrari                    +     1 lap
16.  Kovalainen    Caterham-Renault           +     1 lap
17.  Petrov        Caterham-Renault           +     1 lap
18.  Glock         Marussia-Cosworth          +    2 laps
19.  De la Rosa    HRT-Cosworth               +    3 laps

Fastest lap: Grosjean, 1:26.250

Not classified/retirements: Driver Team On lap
Perez         Sauber-Ferrari               38
Pic           Marussia-Cosworth            36
Karthikeyan   HRT-Cosworth                 23
Senna         Williams-Renault             13
Schumacher    Mercedes                     13

World Championship standings, round 5: Drivers: Constructors: 
 1.  Vettel        61        1.  Red Bull-Renault          109
 2.  Alonso        61        2.  McLaren-Mercedes           98
 3.  Hamilton      53        3.  Lotus-Renault              84
 4.  Raikkonen     49        4.  Ferrari                    63
 5.  Webber        48        5.  Williams-Renault           43
 6.  Button        45        6.  Mercedes                   43
 7.  Rosberg       41        7.  Sauber-Ferrari             41
 8.  Grosjean      35        8.  Force India-Mercedes       18
 9.  Maldonado     29        9.  Toro Rosso-Ferrari          6
10.  Perez         22       
11.  Kobayashi     19       
12.  Di Resta      15       
13.  Senna         14       
14.  Vergne         4       
15.  Hulkenberg     3       
16.  Schumacher     2       
17.  Massa          2       
18.  Ricciardo      2

Posted on 13 de Maio de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: