Miguel Barbosa: “Temos ainda muito pela frente”

Miguel Barbosa

Miguel Barbosa e Justino Reis não conseguiram sair do Rali Targa – Vieira do Minho com a liderança do Campeonato de Portugal de Ralis, após uma prova em que foram vítimas de alguns problemas e que ficou marcada, na última especial, por uma tempestade de granizo, facto que originou a desistência da dupla do Mitsubishi Lancer Evo IX.

Após um início menos feliz, fruto de um ligeiro toque na Super Especial de Vieira do Minho, Miguel Barbosa arrancou hoje para a prova do Targa Clube esperançado e motivado em conseguir recuperar os segundos perdidos ontem. No entanto, logo nos primeiros quilómetros do dia, a tarefa do piloto famalicense ficou comprometida quando “ao fim de dois quilómetros da primeira especial percebemos que estávamos com um furo no pneu traseiro direito. Demos o nosso melhor até final na tentativa de perder o menor tempo possível mas ficamos ainda mais atrasados na classificação“, começou por explicar o até aqui líder do CPR que, com mais sete especiais pela frente, tudo fez para subir na classificação. “Após os problemas iniciais tentamos nas classificativas seguintes inverter os acontecimentos e conseguimos recuperar algumas posições. Os níveis de confiança foram aumentando e isso permitiu-nos entrar para a ultima classificativa já na quarta posição mas acabamos por não ter um final feliz“, disse ainda Miguel Barbosa.

E de facto, o desfecho do Rali Targa – Vieira do Minho foi no mínimo imprevisível. Uma repentina e inesperada tempestade de granizo provou calafrios a todos os concorrentes e as saídas de estrada surgiram em catadupa. Miguel Barbosa surpreendido com o estado do piso e a falta de visibilidade teve uma ligeira saída e na tentativa de avisar os seus companheiros de prova, Justino Reis acabou por ser vítima de grande susto. “Depois da saída de estrada fomos avisar o concorrente que nos seguia, o Ivo Nogueira que também não evitou o despiste. O Justino acabou por ser atingido não sabemos bem se pelo carro ou alguma outra coisa. O importante é que não teve consequências e a ida ao hospital foi apenas por precaução“, explicou o piloto de Vila Nova de Famalicão.

Apesar de não ter conseguido manter a liderança do CPR, Miguel Barbosa encara esse facto de forma natural. “Sei que estou num ano de aprendizagem e os meus objectivos não passam por chegar ao título. É óptimo estar a conseguir lutar por isso pois dá-me ainda mais motivação para evoluir. Esta prova não correu como esperávamos mas temos ainda muito pela frente“, concluiu o agora segundo classificado do Campeonato de Portugal de Ralis.

Posted on 30 de Abril de 2012, in Campeonato de Portugal de Ralis and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: