Armindo Araújo: “Os ralis são assim e temos que estar preparados para tudo, lutar até ao fim e nunca desistir”

Armindo Araújo

Muito longe dos objetivos e ainda mais das expectativas dos adeptos portugueses, que depois do que viram nesta mesma prova o ano passado, na estreia do MINI, tinham esperança que a motivação adicional de correr em casa, aliado ao melhor conhecimento da prova relativamente a outros ralis do mundial, pudesse permitir a Armindo Araújo um resultado melhor, quiçá um que suplantasse o obtido no México.

Mas a verdade é que quase tudo saiu errado, começando logo por um despiste na fase noturna da prova, facto que estragou desde logo quase todas as hipóteses duma boa classificação. Aí, ciente que só algo de muito anormal lhe permitiria subir lugares na classificação, eis que na sexta-feira, um enorme intempérie assolou o Algarve, com os troços a ficarem de tal modo complicados que a organização se viu na obrigação de anular uma secção inteira. Antes disso, o piloto português conseguiu bons cronos, ao fim ao cabo os que precisava… durante o rali todo, para alcançar uma posição bem dentro do top 10. Mas não foi nada disso que aconteceu, pois no sábado, com os pisos mais fáceis, as diferenças entre os WRC esbateram-se, o piloto luso voltou a cair para lá do top 10 entre os melhores tempos nas especiais. Escolhas de pneus erradas, e sem confiança, aumentaram as diferenças para os mais rápidos.

À tarde, as coisas correram bem em Almodôvar, mas no Vascão, tudo se precipitou com o toque numa pedra, que teve como consequência danos na direção e a perda duma roda. Hoje, as coisas não melhoraram, e após quatro dias de prova, o piloto de Santo Tirso estava conformado com o resultado alcançado, na chegada ao pódio instalado no Estádio o Algarve. “Estamos satisfeitos por termos conseguido terminar o rali. Iniciamos a prova com um objetivo bem definido mas acabamos por não o conseguir alcançar. Fomos a melhor dupla portuguesa e isso é sempre um motivo de satisfação e dados os problemas que tivemos durante a prova este foi o resultado possível. Os ralis são assim e temos que estar preparados para tudo, lutar até ao fim e nunca desistir”, começou por dizer o piloto da equipa WRC Team MINI Portugal.

Se nos três anteriores dias do Rali de Portugal, a dupla portuguesa não foi bafejada pela sorte, hoje voltou a não ser muito feliz nas derradeiras especiais algarvias. “Depois do problema de ontem tivemos de usar umas suspensões diferentes e o carro ficou com menos tração. Realisticamente tínhamos a noção que não conseguiríamos subir lugares na geral e não fazia sentido arriscar. Mesmo assim ainda furamos na penúltima classificativa. Foi um rali difícil e incaracterístico mas temos ainda muitas provas pela frente e vamos lutar por regressar aos bons resultados”, afirmou o piloto. A próxima prova de Armindo Araújo e Miguel Ramalho é o Rali da Argentina, na estrada entre os próximos dias 26 e 29 de Abril.

Anúncios

Posted on 1 de Abril de 2012, in WRC and tagged , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: