Jenson Button vence o Grande Prémio da Austrália

Jenson Button

Valeu o ditado de que carro bonito é aquele que ganha corridas. Jenson Button conseguiu superar Lewis Hamilton na largada e abriu a temporada de 2012 com a vitória no GP da Austrália, realizado neste domingo, em Albert Park. A dupla da McLaren confirmou o bom desempenho apresentado ao longo de todo o fim de semana e mostrou que o MP4-27 é o carro a ser batido neste princípio de Mundial. Já na metade final da corrida, Sebastian Vettel conseguiu superar Hamilton após a entrada do safety-car e concluiu a prova na segunda posição, seguido pelo britânico.

A corrida foi bastante empolgante do começo ao fim, com várias disputas por posição, seja na frente, como também no pelotão intermediário. Apenas Button foi soberano e não teve seu domínio ameaçado, nem mesmo depois da intervenção do safety-car, que entrou na pista depois que o carro de Vitaly Petrov ficou parado na reta da meta.

Depois de impor muita pressão contra Hamilton, Webber bem que tentou o pódio, mas teve de se contentar com a quarta posição, apenas confirmando que não leva sorte quando corre em casa. O veterano foi seguido por Fernando Alonso, que tirou ‘leite de pedra’ com um Ferrari fraquíssimo e conseguiu uma muito boa quinta posição. O bicampeão mundial foi pressionado por Pastor Maldonado em praticamente toda a metade final da prova, mas o venezuelano, que estava em sexto, cometeu um erro na última volta, bateu e viu ir pelos ares a oportunidade de dar à Williams mais pontos numa só corrida do que em todo o ano passado.

O sexto posto acabou por ficar com Kamui Kobayashi, seguido de perto por Kimi Räikkönen, que fez uma boa corrida no seu regresso à F1. Após ter largado em último, Sergio Pérez conquistou uma boa oitava posição, enquanto Daniel Ricciardo e Paul di Resta fecharam a lista dos dez primeiros.

A largada da primeira corrida de 2012 trouxe muitas mudanças de posições. A começar pelo líder: Button passou Hamilton na primeira curva e já abriu boa vantagem na ponta. O início da prova foi positivo para duas equipas especificamente: Mercedes, que levou Schumacher e Rosberg para terceiro e quarto, respectivamente, e para a Ferrari, com Alonso e Massa entre os dez primeiros. Pior para Grosjean, que caiu de terceiro para sexto.

1ª curva da temporada 2012

Desde o princípio da corrida, era nítido que os McLaren eram os carros mais rápidos da prova. Button e Hamilton começavam a abrir grande vantagem perante os rivais. Schumacher seguia em terceiro, mas já distante de Lewis. Vettel, por sua vez, conseguiu ultrapassar Rosberg e assumiu a quarta posição.

Já o destaque da classificação, Grosjean, viu sua corrida se encerrar na segunda volta em Melbourne. O franco-suíço se envolveu em um incidente com Maldonado, com quem disputava posição. O piloto da Williams tocou involuntariamente no E20, que ficou com a suspensão dianteira direita danificada, encerrando ali a corrida de Romain.

Após três voltas, Button já liderava com folga, seguido por, Hamilton, Schumacher, Vettel, Rosberg, Alonso, Maldonado, Webber, Massa e Pérez, que saltou de último para décimo. Raikkonen em recuperação, já era o 12º. Empolgado com a boa posição na pista, Pastor tentava aproximar-se de Alonso, mas cometeu um erro e viu passar Webber e Massa, caindo para nono lugar na quarta volta.

Uma volta depois, Vettel foi em frente na curva 1 após tentar aproximar-se de Schumacher; mas pouco depois, Sebastian conseguiu recuperar terreno com facilidade, passou Rosberg e retomou a quarta posição. Bem mais atrás, o aniversariante do dia, Timo Glock, conseguia a façanha de andar à frente das Caterham de Petrov e Kovalainen com um carro que sequer fez pré-temporada.

Durou apenas dez voltas a alegria de Schumacher e a possibilidade de o alemão voltar ao pódio da F1. Com problemas na caixa de velocidades, na terceira marcha, o heptacampeão foi em frente na curva 1, quando era pressionado por Vettel, e perdeu muito rendimento, ficando bastante lento na pista. O alemão arrastou-se até às boxes, quando consolidou o melancólico fim de corrida em Melbourne.

Massa abriu a primeira janela para troca de pneus do GP da Austrália na 11ª volta. A movimentação de pit-stops originou alguns posicionamentos curiosos, como Räikkönen, que chegou à segunda posição, e depois Pérez, que também alcançou a vice-liderança da corrida. Mas o mexicano ficou muito mais tempo na frente, criando dificuldades aos pilotos com ritmo mais rápido. Dentre todos, Alonso foi o que mais teve problemas para passar o mexicano, que foi o último piloto a realizar a sua primeira paragem para troca de pneus só na 24ª volta.

Como Massa foi o primeiro a parar para fazer o seu pit-stop, foi natural que os seus pneus estivessem mais desgastados. Por conta desse problema, principalmente, o brasileiro começou a perder performance, a ponto de ser superado por um Räikkonen em franca recuperação, e também por Kobayashi. Felipe, na volta 28, foi o primeiro a fazer o seu segundo pit-stop em Melbourne. Enquanto isso, Alonso vinha em uma boa quarta posição.

Se Massa estava longe de ter um bom desempenho, Maldonado fazia corrida simplesmente brilhante, a ponto de o venezuelano travar disputa com Webber e Rosberg pela quinta posição. Detalhe é que Pastor sempre correu no grupo dos dez primeiros da corrida, evidenciando que o FW34, empurrado por motor Renault, é um carro bem melhor que o último modelo da Williams.

Lá na frente, Button seguia soberano no seu passeio dominical. Após 35 voltas, o britânico estava 10,8s à frente de Hamilton e 12,5s para Vettel, confirmando que a Red Bull é, pelo menos neste princípio de temporada, no máximo a segunda força da F1.

Primeiro Button, e depois Hamilton, fizeram as suas paragens para troca de pneus na mesma volta, a 36, permitindo que Vettel assumisse momentaneamente a liderança da prova. Quase que ao mesmo tempo, Vitaly Petrov enfrentou problemas mecânicos e parou o seu Caterham quase na linha de chegada. Por segurança, a direção de prova acionou o safety-car, facto que ajudou diretamente Sebastian, que fez o seu pit-stop e voltou em segundo, à frente de Hamilton.

Outro piloto que se deu muito bem com a bandeira amarela foi Maldonado, que passou para sexto lugar, à frente de Pérez, Rosberg, Räikkönen e Kobayashi. Por sua vez, o ‘Angry Bird’ Kovalainen encerrou prematuramente o GP da Austrália para a Caterham ao levar o seu CT01, com problemas mecânicos, rumo às boxes.

A prova foi retomada na volta 42 sem maiores incidentes, mas com Lewis a pressionar Vettel e a ser pressionado por Webber. Button só fazia questão de mostrar que a McLaren era muito melhor que as rivais, tanto que em apenas uma volta, o britânico abriu simplesmente 2,5s para Vettel.

Enquanto Alonso e Maldonado duelavam pela quinta posição, Massa e Senna, que nem de longe andaram no mesmo ritmo dos colegas de Ferrari e Williams, respectivamente, tocaram-se no segundo setor de Albert Park e ficaram com os carros enganchados. Pior para Felipe, que abandonou a prova com a sua a suspensão dianteira da F2012 danificada. Bruno ainda conseguiu permanecer na corrida, mas por pouco tempo.

Na fase final da prova, algumas disputas mostravam-se bem interessantes, como Hamilton e Webber, na luta pelo terceiro lugar, Alonso e Maldonado, duelando pelo quinto posto, Rosberg e Pérez, pelo sétimo, e a Kobayashi e Räikkönen, na luta pela décima posição, sendo que o nórdico era bem pressionado também por Vergne e Ricciardo, os jovens valores da Toro Rosso.

Mas na última volta, Maldonado, um dos melhores pilotos da corrida, cometeu um erro, rodou sozinho e perdeu a oportunidade de colocar a Williams na zona de pontuação. Melhor para Kobayashi, que herdou o sexto lugar, seguido por Räikkönen, Pérez, Ricciardo e Paul di Resta, que conseguiu passar Vergne nos últimos metros. Enquanto Pastor lamentava o erro, Button celebrava a vitória em Melbourne, a 13ª da sua carreira.

Confira os resultados:

Pos Driver Team Time
 1.  Button        McLaren-Mercedes           1h34:09.565
 2.  Vettel        Red Bull-Renault           +     2.139
 3.  Hamilton      McLaren-Mercedes           +     4.075
 4.  Webber        Red Bull-Renault           +     4.547
 5.  Alonso        Ferrari                    +    21.565
 6.  Kobayashi     Sauber-Ferrari             +    36.766
 7.  Raikkonen     Lotus-Renault              +    38.014
 8.  Perez         Sauber-Ferrari             +    39.458
 9.  Ricciardo     Toro Rosso-Ferrari         +    39.556
10.  Di Resta      Force India-Mercedes       +    39.737
11.  Vergne        Toro Rosso-Ferrari         +    39.848
12.  Rosberg       Mercedes                   +    57.642
13.  Maldonado     Williams-Renault           +     1 lap
14.  Glock         Marussia-Cosworth          +     1 lap
15.  Pic           Marussia-Cosworth          +    2 laps
16.  Senna         Williams-Renault           +    4 laps

Fastest lap: Button, 1:29.187

Not classified/retirements: Driver Team On lap
Massa         Ferrari                      47
Kovalainen    Caterham-Renault             42
Petrov        Caterham-Renault             37
Schumacher    Mercedes                     11
Grosjean      Lotus-Renault                2
Hulkenberg    Force India-Mercedes         1
Karthikeyan   HRT-Cosworth                 DNS
De la Rosa    HRT-Cosworth                 DNS

Posted on 18 de Março de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: