Com regresso de Kimi Raikkonen, o número de campeões mundiais na grelha sobe para 6

Kimi Raikkonen

O arranque da temporada de 2012 da F1 será dada no próximo domingo no GP da Austrália, com um novo recorde na pista. Pela primeira vez em 63 anos de história do Mundial, a grelha da categoria vai contar com nada menos que seis campeões: Michael Schumacher, detentor de sete títulos; Fernando Alonso e Sebastian Vettel, com dois; e Jenson Button, Lewis Hamilton e Kimi Raikkonen, com um cada. Juntos, os seis, que representam ¼ da grelha deste ano, acumulam 14 títulos, contabilizando incríveis 186 vitórias e 5.489 pontos.

O recorde, aliás, só foi possível graças ao regresso de Raikkonen ao Mundial. O campeão de 2007 deixou a categoria no fim de 2009, depois de ter sido dispensado da Ferrari, e foi aventurar-se no Mundial de Rali. Sem resultados expressivos no WRC, o finlandês já esboçava vontade de regressar à F1 e foi o bem vindo o acordo com a Lotus que permitiu a volta do excêntrico nórdico de 32 anos.

Depois de uma temporada abaixo do esperado, resultado de sucessivos problemas que começaram com o acidente de Robert Kubica num rali na Itália, a equipa de Enstone tenta renascer e foi contratar o ex-piloto da Ferrari para guiar o E20 rumo ao pódio.

Pelo que se viu na pré-temporada, os dois anos fora da principal categoria do desporto motorizado não fizeram mal ao ‘Iceman’. A equipa preta e dourada deu pistas de que tem um bom carro para o Mundial deste ano, e Raikkonen tratou logo de mostrar que não perdeu a mão.

O caso de Schumacher é semelhante. O heptacampeão retirou-se da F1 em 2006, mas interrompeu a ausência em 2010 com um contrato de três anos com a Mercedes. O alemão, certamente, não esqueceu o caminho da vitória, mas ainda não encontrou na equipa da estrela de três pontas um carro que pudesse levá-lo ao pódio, apesar do desempenho irregular nas últimas duas temporadas.

No ano final do seu contrato com a equipa chefiada por Ross Brawn, Michael terá mais uma oportunidade de voltar ao top-3 da F1. Ao que parece, o W03 não é um carro problemático, mas a primeira corrida do ano é que deve mostrar se o heptacampeão terá condições de acompanhar o ritmo das rivais, voltar aos bons tempos e, enfim, colocar a Mercedes no caminho do sucesso.

Na garagem da McLaren as coisas são melhores. A equipa de Woking conta com uma das duplas mais afinadas da F1 atual, e o MP4-27 demonstrou ao longo da pré-temporada não ter problemas de fiabilidade.

Hamilton e Button, por razões óbvias, esconderam o jogo nos testes coletivos, mas ao que tudo indica os campeões de 2008 e 2009, respectivamente, terão meios para lutar pelo bicampeonato em 2012.

Prestes a iniciar o seu terceiro ano na equipa liderada por Martin Whitmarsh, Jenson mostra que está cada vez mais em casa na equipa que era tido como ‘a equipa de Hamilton’. Desde a sua passagem pela Brawn, onde conquistou o seu único título até agora, o inglês só evoluiu e a cada campeonato surpreende com o seu estilo inteligente de guiar. A vitória no chuvoso GP do Canadá no ano passado é apenas um exemplo da capacidade do britânico.

Michael Schumacher

Hamilton vive um momento pouco diferente. A temporada de 2011 não foi nem de longe uma das suas melhores. O piloto envolveu em diversas confusões na pista, algumas delas envolvendo Felipe Massa, e agora luta para colocar a vida pessoal em ordem para focar no seu trabalho na equipa britânica.

O equilibro de Lewis foi abalado quando o britânico afastou o seu pai, Anthony, do posto de agente e passou a ter a carreira gerenciada pela XIX Entertainment, que tem entre os seus clientes David Beckham, Jennifer Lopez e Andy Murray.

Além disso, um relacionamento de idas e voltas com a cantora Nicole Scherzinger também ajudou a tirar Lewis do eixo. O britânico encerrou a temporada passada prometendo colocar a vida em ordem e voltar mais forte neste ano. O chefe da McLaren garante que a promessa foi cumprida.

A situação de Alonso é a mais delicada entre os campeões da grelha. A Ferrari não teve um bom desempenho na fase de testes e tanto o espanhol quanto o companheiro Felipe Massa já afirmaram que Maranello terá muito trabalho para melhorar o novo carro. Ainda assim, Alonso continua com o discurso positivo e, falando aos funcionários da escuderia, mostrou-se confiante nas possibilidades do carro italiano.

O último na lista de vencedores da F1 é Vettel. Atual campeão da categoria, o jovem encerrou 2011 numa excelente fase. Sebastian venceu 11 das 19 provas do ano e ficou com o título com 122 pontos de vantagem para Button, o vice-campeão. O alemão é o que desfruta da melhor condição para repetir o feito entre os demais campeões.

Ao contrário do ano passado, no entanto, a equipa das bebidas energéticas não se mostrou tão dominante. Não que o RB8 seja um carro fraco ao contrário, o modelo rubro-taurino só aparenta não ser tão perfeito.

Por outro lado, os austríacos contam com Adrian Newey, que tem se mostrado um verdadeiro mestre no desenvolvimento de carros vencedores. Aliado a isso está a maior experiência de Vettel na luta pelo título, o que por si só já dá ao germânico a condição de franco favorito.

Posted on 14 de Março de 2012, in Fórmula 1 and tagged , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: