Pedro de la Rosa afirma que teste com novo HRT será uma vitória

Pedro de la Rosa

Enquanto dez equipes da grelha já trabalham exaustivamente na avaliação e nos testes dos novos modelos, a HRT ainda não conseguiu levar o F112 à pista, facto que tem sido constante desde a sua estreia na F1, em 2010. No último sábado, a escuderia, agora baseada em Madrid, anunciou que não haveria tempo hábil para estrear o carro para esta temporada na última sessão da pré-temporada, no circuito de Montmeló, neste domingo, como estava previsto outrora.

A última esperança de Pedro de la Rosa, veterano da F1 e contratado para liderar a esquadra espanhola, é que o F112 vá à pista na segunda-feira. A HRT planeou um dia de filmagens em Barcelona para lançar o carro. Sem ter a certeza de que conseguirá completar algumas voltas com o novo carro, o piloto de 41 anos entende que o shakedown será fundamental para as pretensões da escuderia na abertura do Mundial, dentro de duas semanas, na Austrália.

Se conseguirmos completar algumas voltas na segunda, será uma vitória para nós”, declarou De la Rosa em entrevista coletiva concedida no último sábado no paddock do circuito da Catalunha.

Não estou à espera de completar muitos quilômetros antes da Austrália, por isso se conseguirmos fazer isso, levar-nos-à a uma posição muito melhor do que a HRT sempre esteve antes da primeira corrida do campeonato”, comentou o catalão, fazendo referência às temporadas passadas da sua nova equipa. Em 2011, a equipa ainda conseguiu lançar o F111 nos testes da pré-temporada, mas a quilometragem obtida em Barcelona, à época, foi insignificante.

Experiente e dono de grande carreira como test-driver da McLaren, De la Rosa sabe a importância dos testes que precedem o começo do Mundial de F1. “É sempre muito importante completar algumas voltas para verificar o sistema no carro, certificar que tudo está a funcionar bem, uma vez que o carro é completamente novo.”

Temos de ser sensatos e completar alguns quilômetros antes da Austrália. Isso dará à equipa a hipótese de resolver todos os problemas antes disso. E como piloto, isto vai-nos ajudar a ter um assento pronto. Fiz [o molde] há três dias, em Munique, mas preciso de completar algumas voltas para ter certeza que está tudo ok”, acrescentou o veterano. “O ideal seria que nós tivéssemos alguns dias nos testes da pré-temporada, mas não estou aqui para reclamar. Se fizermos algumas voltas na segunda-feira, então será uma vitória”, complementou.

Questionado sobre o F112, Pedro deixou claro que o modelo foi projetado do zero e não é uma mera evolução do seu antecessor, diferente do que muitas equipas fizeram neste começo de 2012. “Não há nenhuma transição em relação ao [carro do] ano passado. Este é muito diferente porque, se você olhar para os carros das outras equipas, todos eles foram evoluções a partir do ano passado”, finalizou De la Rosa.

Posted on 4 de Março de 2012, in Fórmula 1 and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: