Joan Barreda vence, dando a 1ª vitória à Husqvarna em 15 anos

Joan Barreda

Nem Marc Coma, nem Cyril Després. Depois de nove etapas em 2012, o Dakar conheceu um novo vencedor nas motos. Joan Barreda Bort, espanhol de 28 anos, que corre pela Husqvarna Speedbrain, conquistou nesta quarta-feira a sua primeira vitória no maior rali do mundo. O piloto completou a etapa cronometrada de 377 km, entre as cidades chilenas de Iquique e Arica, em 4h18min43s, relegando a dupla da KTM.

A última vitória de uma moto Husqvarna no Dakar aconteceu há mais de 15 anos, quando o finlandês Kari Tianen venceu a primeira especial da prova, quando a competição foi realizada entre Granada e Dacar, capital do Senegal, em 30 de Dezembro de 1995.

Coma fechou o décimo dia do Dakar na segunda posição. Catalão como Barreda, o tricampeão do Dakar terminou a especial, com um misto de praias, dunas e fesh-fesh, a 1min32s do compatriota. Marc venceu o duelo particular que trava com Després pelo título da competição. O francês, que largou na frente e abriu caminho para os demais competidores das motos, terminou em terceiro, distante 3min39s de Barreda.

O começo da especial indicou que seria mesmo um dia diferente nas motos. Paulo Gonçalves, também da Husqvarna, foi o mais rápido no primeiro ponto de cronometragem, seguido por Barreda e Coma. Com exceção do segundo waypoint, comandado por Marc, todas as outras parciais da etapa rumo a Arica foram liderados por uma moto da construtora checa. Barreda assumiu a ponta a partir do quinto parcial e seguiu firme rumo à vitória antes do longo deslocamento até Arica.

O português Hélder Rodrigues terminou mais uma vez entre os cinco primeiros. O luso da Yamaha fechou a especial em quarto, seguido pela KTM de Jordi Viladoms. Stefan Svitko, que tem vindo a fazer um bom Dakar, garantiu o sexto lugar com a KTM de numeral 32. Na sequência, Pal Anders Ullevalseter, também guiando pela construtora austríaca, fechou no sétimo lugar da etapa.

Olivier Pain, com Yamaha, Franz Verhoeven, da Sherco, e o português Ruben Faria, com a dominante KTM, concluíram a lista dos dez melhores da décima etapa do Dakar. O português Paulo Gonçalves, que lutou pela vitória, terminou o dia em 12º, após uns problemas na sua Husqvarna. Quanto a Pedro Bianchi Prata, o também piloto da Husqvarna ficou em 50º.

Com o resultado final em Arica, Cyril ainda ocupa a liderança geral do Dakar, mas a sua vantagem para Coma caiu para inexpressivos 21s, deixando disputa entre os dois tricampeões da prova totalmente imprevisível, faltando ainda quatro especiais para o término do rali.

O português Hélder Rodrigues manteve o terceiro posto, mas está bem distante da vitória. O piloto da Yamaha está a 45min56s de Després e é seguido por outros três pilotos da KTM: Viladoms, Svitko e Gerard Farres Guell, que foi o 13º na especial desta quarta-feira. Paulo Gonçalves continua no top-10, mesmo com o resultado ruim em Arica. O português ocupa a sétima posição, seguido por Ullevalseter e Pain. Alessandro Botturi colocou a Itália na décima colocação da classificação geral, também com KTM. Logo atrás encontra-se Rúben Faria, que continua em clara recuperação em 11º. Já Pedro Bianchi Prata, o português da Husqvarna nº46 encontra-se na 48ªposição.

Posted on 11 de Janeiro de 2012, in Dakar and tagged , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: